Publicidade
Segunda-Feira, 24 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 19º C

Na expectativa de se tornar parada fixa de cruzeiros, Florianópolis recebeu escala teste

Navio MSC Preziosa ancorou em Canasvieiras no sábado e depois seguiu viagem para Balneário Camboriú

Felipe Alves
Florianópolis
25/03/2018 às 09H12

Na expectativa de se tornar uma parada permanente de cruzeiros na temporada 2018/2019, Florianópolis recebeu no sábado (24) a escala teste do navio MSC Preziosa. O sol contribuiu para animar o passeio dos turistas e cerca de 2.000 passageiros (dos 4.300) desembarcaram para conhecer pontos turísticos da Capital. A prefeitura da Capital concentra esforços agora em conseguir a liberação definitiva com a Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários) para receber, no mínimo, 10 cruzeiros na próxima temporada.

O MSC Preziosa atracou em Canasvieiras logo pela manhã de sábado a quatro quilômetros distante do trapiche da praia do Norte da Ilha. Para chegar até ali, os turistas eram transportados de tender (um pequeno barco) em grupos de cem pessoas após um trajeto de 25 minutos. No trapiche a prefeitura instalou uma área de desembarque, e na praia, uma estrutura de tendas com artesanato, rendeiras e produtos da cultura local. Agências de turismo aproveitaram para vender pacotes e passeios para o sábado.

“Vencemos uma série de barreiras, exigências da MSC e da Antaq para que esse dia acontecesse. A estrutura temporária que montamos pode se transformar em estrutura permanente se tivermos a vinda definitiva de navios para cá e isso pode ser feito inclusive em parceria com a iniciativa privada”, afirmou o prefeito Gean Loureiro.

O presidente da Antaq, Francisval Mendes, que concedeu a licença temporária para a escala teste, esteve em Florianópolis no sábado para participar do evento de chegada do navio e avaliar a estrutura do trapiche de Canasvieiras. Segundo ele, alterações deverão ser feitas no trapiche para que a licença definitiva possa ser liberada. “A partir dessa primeira experiência vamos analisar e decidir de forma definitiva essa questão”, disse ele.

Conheça um pouco sobre o navio:

 

Turistas aproveitaram para conhecer a cidade

A turista Viviane Moreno veio de Sorocaba para o minicruzeiro de três dias pelo Sul do país. Ela desembarcou em Florianópolis para ir para Jurerê e também em Balneário Camboriú. “Sou apaixonada por Floripa pelas praias daqui. Eu vinha direto quando era mais nova de carro e agora estou bem feliz de voltar”, disse ela, que reclamou do tempo de espera no trapiche. Como a estrutura do trapiche só permitia a ancoragem de um tender por vez, uma enorme fila se formou por volta das 16h, quando os turistas tinham que voltar para o navio.

Humberto Freccia Netto, diretor-executivo da agência de turismo Nova Alman, comercializou pacotes de turismo para Florianópolis dentro do navio. Entre pacotes para conhecer as praias de Jurerê Internacional e Joaquina e fazer um passeio de scuna até a ilha de Anhatomirim, o serviço mais procurado pelo turistas foi o de conhecer vários pontos da cidade, passando pelo Centro Histórico, Lagoa da Conceição e Santo Antônio de Lisboa. A venda de pacotes - aproximadamente 170 – foi abaixo do esperado, de acordo com Humberto. “Como era uma escala teste, a divulgação de Florianópolis foi muito rápida. Com certeza teremos a aprovação para a próxima temporada e, com isso, a divulgação da cidade será muito boa”, avalia ele.

Navio em Florianópolis  - Flávio Tin/ND
O MSC Preziosa atracou em Canasvieiras logo pela manhã de sábado  - Flávio Tin/ND



Turismo é 13% do PIB de SC

Para o presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Vinícius Lummertz, o sábado em Florianópolis foi dia de comemorar a chegada do navio, mas também de refletir sobre o quanto ainda existe de impedientos para que a indústria do mar se desenvolva no país. “Nós somos fundamentalmente marítimos. Já tivemos 20 navios na costa brasileira e hoje temos sete. Temos que voltar a ter a condição de desenvolver uma economia do mar em Santa Catarina e no Brasil”, disse ele.

O governador do Estado, Eduardo Pinho Moreira, ressaltou a importância do turismo para a economia de Santa Catarina. “Nesta crise pela qual o país passa, em janeiro tivemos a maior receita da história de Santa Catarina, que teve participação importante do turismo, que movimentou R$ 10 bilhões. O turismo já está em quase 13% do nosso PIB, isso é extremamente significativo”, avaliou.

No ano passado, Balneário Camboriú fez a primeira escala teste para entrar na rota de cruzeiros e, segundo Adrian Ursilli, diretor-geral da MSC Cruzeiros, a cidade já está sendo comercializada em quase todos os pacotes da empresa. A expectativa é que Florianópolis siga o mesmo caminho. “A região sul segue essa tendência por que vocês têm um espírito náutico na veia. A cidade e o Estado têm essa vocação”, disse ele.

Publicidade

2 Comentários

Publicidade
Publicidade