Publicidade
Quarta-Feira, 21 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 17º C

Na primeira hora do Dia do Solteiro, gigante chinesa fatura US$ 10 bi

O evento se tornou um fenômeno desde que a Alibaba, em 2009, começou a promover descontos na sua plataforma

Folha de São Paulo
São Paulo
11/11/2017 às 14H39

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A gigante chinesa do comércio eletrônico Alibaba faturou US$ 10 bilhões na primeira hora do Dia do Solteiro, o maior dia de vendas on-line do planeta.

O evento, que teve início nos anos 1990 como uma reação de jovens chineses contra o Dia dos Namorados, se tornou um fenômeno desde que a Alibaba, em 2009, começou a promover descontos na sua plataforma, como forma de estimular as vendas em um período tradicionalmente parado para o comércio.

Neste ano, antes de dar a largada para as promoções, a empresa promoveu festa que reuniu personalidades como a atriz Nicole Kidman, o músico Pharrell Williams e a tenista Maria Sharapova.

No ano passado, a data (que sempre ocorre em 11/11, quando há a maior coleção no calendário do número um, representando o solteiro) movimentou somente na Alibaba US$ 17,7 bilhões -em 2015, foram US$ 14,3 bilhões.

A expectativa é que as negociações neste ano superem os US$ 20 bilhões.

Para ter uma ideia, a Black Friday e a Cyber Monday (duas das principais datas do varejo nos Estados Unidos) tiveram faturamento no comércio eletrônico de, respectivamente, US$ 2,7 bilhões e US$ 3,1 bilhões.

A Amazon obteve US$ 1 bilhão no ano passado, na sua principal data de vendas, que ocorre em julho e envolve uma janela de 30 horas com promoções para os clientes.

"Esse é um grande evento para a economia chinesa", disse Joseph Tsai, cofundador da Alibaba e vice-presidente do conselho da empresa, abaixo de Jack Ma, na hierarquia da companhia. "No Dia do Solteiro, comprar é um esporte, é entretenimento."

Segundo ele, que tem uma fortuna de US$ 11,5 bilhões, o aumento da renda dos "mais 300 milhões de consumidores de classe média" do país vai continuar a alimentar as vendas. "Esse grupo poderoso está estimulando o consumo na China."

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade