Publicidade
Terça-Feira, 20 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 16º C

Municípios catarinenses melhoram a classificação no Mapa do Turismo

Segundo a nova categorização, 25 municípios de Santa Catarina tiveram crescimento econômico pelo setor

Redação ND
Florianópolis
19/02/2018 às 20H20

O Ministério do Turismo atualizou a categorização dos municípios que compõem o Mapa do Turismo Brasileiro, instrumento que ajuda a acompanhar o desempenho da economia do turismo nos municípios. De acordo com a nova categorização, 25 municípios de Santa Catarina tiveram crescimento econômico pelo setor, seja por terem aumentado o número de empregos através do turismo, ampliado os estabelecimentos formais de hospedagem ou o fluxo de turistas domésticos e internacionais.

“A melhoria na classificação de um destino importante como Palhoça mostra que nossos municípios têm trabalhado cada vez mais para fortalecer a atividade turística. No que diz respeito ao Ministério do Turismo estamos atentos às demandas do setor como melhoria de infraestrutura, legalização e qualificação dos serviços”, avaliou o ministro do Turismo, Marx Beltrão.

Por outro lado, outros 12 municípios do Estado tiveram redução em suas categorias — Abdon Batista, Agrolândia, Agronômica, Capivari de Baixo, Criciúma, Descanso, Iomerê, Ipira, Ipuaçu, Itá, São Miguel do Oeste, São Pedro de Alcântara. Essa categorização é um processo dinâmico e perene que, assim como o Mapa do Turismo Brasileiro, deve ser atualizada e aperfeiçoada periodicamente. Assim, se um município teve seu fluxo turístico e seus estabelecimentos formais de hospedagem ampliados, provavelmente, na próxima edição da categorização, quando os dados dele serão novamente considerados, ele poderá mudar de categoria.

Turismo cresceu, mas muitos comerciantes seguem explorando visitantes - Carlos Damião
Municípios catarinenses melhoram a classificação no Mapa do Turismo - Carlos Damião



Apoio do Ministério

Desde 2003, o MTur (Ministério do Turismo) já destinou aproximadamente R$ 7,1 milhões para Agrolândia, Criciúma, Descanso, Ipirá, Ipuaçú, Itá, São Miguel do Oeste e São Pedro de Alcântara para obras de sinalização, pavimentação, revitalização de praças, construção de centros culturais, entre outros.

Segundo a portaria 39/2017 do MTur, somente municípios classificados entre ‘A’ e ‘D’ podem pleitear apoio a eventos geradores de fluxo turístico. De acordo com a nova categorização, as cidades - Balneário Rincão, Bom Jesus, Braço do Trombudo, Capão Alto, Cerro Negro, Grão Pará, Paial, Palma Sola, Pedras Grandes, Salto Veloso, Sangão, Santa Rosa de Lima, Santa Rosa do Sul, Vitor Meireles, Witmarsun e Zórtea - agora na categoria ‘D’, passam a poder contar com até R$ 150 mil por ano do governo federal para a realização de eventos festivos.

Já Campos Novos, Fraiburgo, Garuva, Praia Grande, Rio Negrinho e Treze Tílias, classificadas como ‘C’, têm direito a um limite de R$ 400 mil, enquanto Palhoça e Urubici, agora na categoria ‘B’, passam para um teto de R$ 500 mil. Santa Catarina conta com 251 cidades no Mapa do Turismo Brasileiro, distribuídas em todas as classificações.

Todos os municípios, de A a E, estão aptos a pleitear recursos de infraestrutura, como construção de estradas e rodovias de interesse turístico, orlas e terminais fluviais lacustres ou marítimos, reforma de terminais rodoviários intermunicipais e interestaduais, de aeroportos, ferrovias e estações férreas de interesse turístico e sinalização turística.

Municípios que cresceram

Balneário Rincão;
Bom Jesus;
Braço do Trombudo;
Campos Novos;
Capão Alto;
Cerro Negro;
Fraiburgo;
Garuva;
Grão Pará;
Paial;
Palhoça;
Palma Sola;
Pedras Grandes;
Pinheiro Preto;
Praia Grande;
Rio Negrinho;
Salto Veloso;
Sangão;
Santa Rosa de Lima;
Santa Rosa do Sul;
Treze Tílias;
Urubici;
Vitor Meireles;
Witmarsum;
Zortéa.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade