Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

MPSC vai à Justiça por acolhimento de idosa abandonada em frente a asilo em Brusque

Mulher está com família substituta, que já informou que só poderá ficar com ela até esta sexta-feira

Redação ND
Florianópolis
19/07/2018 às 17H19
Idosa foi abandonada em frente ao lar de idosos - Reprodução/RICTV
Idosa foi deixada por familiares em Brusque na semana passada- Reprodução/RICTV

O MPSC (Ministério Público de Santa Catarina) ingressou com representação judicial para garantir acolhimento institucional à idosa de Tijucas que foi abandonada pela família em frente a um asilo em Brusque, perto da meia-noite de 11 de julho. A assistência social do município da Grande Florianópolis encaminhou a idosa para uma família substituta, que já informou que só poderá ficar com ela até esta sexta-feira (20).

A representação foi ajuizada pela 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Tijucas nesta quinta-feira (18) e aguarda pela decisão da Justiça. Por causa do abandono da senhora e falta de perspectiva no atendimento pelo Poder Público, o promotor Fred Anderson Vicente procura garantir o cumprimento das medidas protetivas no Estatuto do Idoso.

“No caso, considerando a negligência do sobrinho e a situação de saúde da idosa, não há outra saída a não ser, emergencialmente, a inclusão da idosa em instituição de longa permanência, às expensas do Município de Tijucas e do sobrinho, para garantia de seus direitos”, considera o Promotor de Justiça.

A representação do MPSC requer, ainda, a realização de estudo social na casa da sobrainha que abandonou a mulher, para avaliação da medida protetiva mais adequada ao caso, que será aplicada posteriormente.

De acordo com a sobrinha, a idosa já morava com a família há três anos e a convivência com a família estava difícil. A ideia era acolher a tia por uma semana na casa da família, até que encontrasse alguém que pudesse cuidar de seus quatro filhos para voltar a trabalhar, mas a idosa não quis mais voltar para a antiga residência. A sugestão do abandono então teria vindo de conhecidos. 

A representação ainda não foi avaliada pelo Juízo da Vara Cível da Comarca de Tijucas.


Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade