Publicidade
Sexta-Feira, 14 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 31º C
  • 22º C

Morre a jornalista Sylvia Amélia, da Academia Catarinense de Letras

Autora de sete livros, ela era também do quadro efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina

Redação ND
Florianópolis

Divulgação
A advogada e jornalista Sylvia Amélia Carneiro da Cunha, ocupante da cadeira 26 da Academia Catarinense de Letras, morreu ontem  em Florianópolis, aos 97 anos. O enterro será realizado nesta quarta-feira, às 11h, no cemitério São Francisco de Assis, no bairro Itacorubi. Autora de sete livros, Sylvia Amélia também era do quadro efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina.

As obras publicadas de 1939 para cá foram: “A taquigrafia em Santa Catarina”, “A técnica comercial e processos de propaganda” (1942), “A natureza jurídica da Convenção Coletiva do Trabalho” (1955), “Livros de Ajebiana” (1979), “Ajebianas de Sul a Norte” (1988), “Poemas do meu caminho” (1993) e “Gustavo Richard – Um republicano histórico em Santa Catarina” (1995).

Sylvia nasceu no Rio de Janeiro em 1914, mas estava radicada em Florianópolis desde cedo. Formada em Letras Neolatinas, Jornalismo, Técnica de Administração e Bacharel em direito. Exerceu o magistério por concurso, em Santa Catarina, na Faculdade de Ciências Econômicas – da qual foi fundadora - na Academia do Comércio e no Colégio Catarinense.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade