Publicidade
Quinta-Feira, 15 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 20º C

Moradores da Mariquinha que ainda permaneciam em área de risco são retirados

Dez famílias foram intimadas e pela manhã tiveram que deixar suas casas que ficavam no entorno da área que desabou em 2011

Letícia Mathias
Florianópolis

A prefeitura de Florianópolis montou uma força tarefa junto com a Defesa Civil, Guarda Municipal e assistência social para retirar os moradores que ainda estavam morando nas áreas consideradas de risco na comunidade da Mariquinha, após deslizamento que soterrou uma casa em dezembro de 2011. Pela manhã eles foram intimados a deixarem as suas casas. Dez famílias ainda permaneciam no local mesmo após terem sido notificados a respeito do risco.

Rosane Lima/ND
Os moradores não poderão retornar até que as obras de tratamento do solo estejam prontas

 

Apesar do transtorno, a retirada dos moradores foi pacífica. Das dez famílias, cinco já haviam saído da região e as outras já estavam preparadas, a maioria já tinha organizado mobiliário e pertences pessoais para a mudança. O transporte e embalagem foram feitos por uma empresa de mudança contratada pela prefeitura e todos os pertences serão entregues na residência que o morador indicar.

Segundo o agente da Defesa civil Luiz Machado a área é de alto risco e já existe um estudo sobre o fraturamento do maciço rochoso e um projeto de estabilização da região. Após o tratamento de drenagem, grampeamento da rocha para que não deslize e a construção de muros de contenção, os moradores poderão retornar às suas casas. Porém ainda não há uma data definida para execução do projeto, a prefeitura ainda trabalha na captação de recursos. Durante este período os moradores receberão auxílio aluguel.

Marcelo Ferreira, presidente do conselho comunitário da Mariquinha disse que está acompanhando o caso e pretende se reunir com os secretários de habitação e obras nos próximos dias para discutir melhor o projeto e buscar um prazo para a realização de todo trabalho. “A idéia depois é conseguir um audiência pública para explicar aos moradores detalhes do projeto e montar uma comissão pra acompanhar”, afirmou.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade