Publicidade
Segunda-Feira, 24 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 19º C

Ministro do Turismo avalia primeiro dia oficial da Missão Brasileira em Copenhague

Comitiva conheceu de perto o sistema de transporte por meio de bicicletas e as soluções arquitetônicas que tornaram a capital dinamarquesa referência internacional em sustentabilidade

Rodrigo Cardozo
Florianópolis
19/08/2018 às 16H02

O primeiro dia oficial do programa da Missão Brasileira em Copenhague foi considerado positivo pelo Ministro do Turismo, Vinicius Lummertz. Durante cinco horas, a comitiva liderada pelo ministro e com empresários e arquitetos catarinenses percorreu 35 km de ciclovias da capital dinamarquesa, em bairros antigos e novos, e pôde constatar como a cidade, fundada em 1167, modernizou-se e se abriu para o novo sem perder o antigo charme que a tornou tão famosa.

A capital dinamarquesa foi fundada em 1167 - Rodrigo Cardozo/ND
A capital dinamarquesa foi fundada em 1167 - Rodrigo Cardozo/ND


Durante o tour guiado, o grupo brasileiro percorreu avenidas importantes do Centro Histórico da cidade. Foi possível como locais antes destinados apenas para os carros se transformaram em ruas com ciclovias exclusivas, e como o uso dos espaços públicos para estacionamentos e portos foi transformado para as pessoas e foi compartilhado, com prioridade total para pedestres e ciclistas. O dia de visitas incluiu uma parada no Danish Arkitetkur Centre, o Centro de Arquitetura Dinamarquês. O edifício abriga exposições sobre urbanismo e dá aos visitantes um pouco sobre a arquitetura dinamarquesa, considerada referência internacional, e com projetos realizados em cidades como Sidney (Austrália), Londres, (Inglaterra), e Nova York (Estados Unidos).

O tour contou ainda com uma volta pelos áreas mais afastadas do Centro Histórico de Copenhague, na região onde antes ficava o porto da Cidade. Espaços destinados às indústrias foram completamente transformados para dar lugar a áreas residenciais. A modernização inclui a despoluição do canal principal, com a construção de piscinas artificiais públicas para moradores e turistas. Outro avanço foi a abertura de canais menores para perto dos apartamentos, Pode-se sair da porta de casa e ir para a água navegar com lancha ou simplesmente nadar, já que a água é despoluída. A requalificação levou em conta projetos criados em parceria entre poder público, iniciativa privada e comunidade para mudar a cara de regiões antes degradadas da cidade.

"Foram muitas as soluções de uma cidade que estava quebrada, em 1980,  e foram criados estímulos para que empresas  e sociedade buscassem junto com o governo as soluções para os problemas", disse o Ministro do Turismo, Vinicius Lummertz.

A Missão prossegue neste domingo (19) com foco na orla marítima e em soluções arquitetônicas adotadas em bairros novos de Copenhague.

>> Comitiva brasileira vai a Copenhague buscar referências urbanísticas para Florianópolis

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade