Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Ministro da Fazenda oficializa ao governador liberação de R$ 700 milhões para o Fundam

Colombo prevê que Meirelles assinará o ato formal nos próximos meses, em Florianópolis, mas dinheiro deve ser liberado em outubro

Redação
Florianópolis
18/09/2017 às 21H01

O governador Raimundo Colombo (PSD) oficializou a liberação de R$ 700 milhões para a realização da segunda edição do Fundam (Fundo de Apoio aos Municípios) em audiência nesta segunda-feira (18) com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, em Brasília. Um ato formal de assinatura do contrato deve ser realizado em Florianópolis, com representantes do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), em data a ser definida.

Colombo esteve em Brasília com Meirelles - Julio Cavalheiro/Secom/ND
Colombo esteve em Brasília com Meirelles - Julio Cavalheiro/Secom/ND



Mas Colombo informou que os primeiros contratos com as prefeituras já poderão ser assinados a partir de outubro. “Deu tudo certo e vamos poder ajudar os municípios a enfrentarem a crise fazendo investimentos”, avaliou Colombo.

O governador afirmou que a meta é repetir a primeira edição, quando o Fundam distribuiu R$ 606 milhões. Como cada município apresentou até dois projetos, foram assinados 453 convênios, que possibilitaram a compra de 976 equipamentos, máquinas e veículos, a realização de 56 obras e a pavimentação de 1.358 ruas, o que corresponde a 538 quilômetros lineares pavimentados. “Com o Fundam, fortalecemos toda a economia do Estado. Já temos a experiência e toda uma equipe estruturada para garantir o sucesso dessa nova edição”, acrescentou Colombo.

O governador aproveitou o encontro para convidar o ministro para proferir uma palestra em Florianópolis, no mês de outubro, sobre a economia nacional. O ministro aceitou e a data do evento deve ser anunciada. “A ideia é falar com todo o setor produtivo para tratar das perspectivas e dos desafios da nossa economia daqui para frente, buscando promover uma integração ainda maior para promover o nosso desenvolvimento e de todo o país”, explicou Colombo.

Meta é repetir primeira edição

A exemplo da primeira edição, a meta agora é contemplar todos os 295 municípios catarinenses e garantir autonomia para que cada prefeitura escolha o investimento a ser feito dentro das áreas previstas. O gerenciamento e o controle do programa ficarão novamente com o BRDE (Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul). As áreas de destino dos recursos são: infraestrutura, educação, saúde, assistência social, desporto e lazer, saneamento básico e aquisição de equipamentos.

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade