Publicidade
Quarta-Feira, 14 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 30º C
  • 22º C

Mesmo com chuva, Dnit começa obras na galeria pluvial na “Cracolândia da Via Expressa”

Vala começou a ser escavada para receber a implantação das novas células de concreto

Redação ND
Florianópolis
03/08/2018 às 12H01

A chuva não impediu que o Dnit (Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes) começasse as obras de prolongamento da galeria pluvial da Via Expressa (BR-282), na rua Josué Di Bernardi, nesta sexta-feira (3).

As obras visam fechar a vala existente para evitar que seja utilizada por moradores de rua e usuários de droga para o descarte de detritos. O local ficou conhecido como “Cracolândia” e fica no limite entre os municípios de Florianópolis e São José.  

Obras de prolongamento de galerias começaram nesta sexta-feira - Ronaldo Carioni Barbosa/Divulgação/ND
Obras de prolongamento de galerias começaram nesta sexta-feira - Ronaldo Carioni Barbosa/Divulgação/ND



De acordo com o fiscal do contrato das obras de manutenção da BR-282, Huri Alexandre Raimundo, nesta sexta-feira, uma escavadeira hidráulica está no local para deixar a vala com uma área plana para a implantação das novas células de concreto pré-moldado, que já foram levadas até o local na semana passada.

Utilizando o contrato de manutenção, o Dnit vai prolongar a galeria pluvial por 12 metros e, depois, aplainar o local com um aterro. Os trabalhos contarão com uma equipe de cinco a dez profissionais diariamente e, se não houver imprevistos, a expectativa é para que a obra termine em 15 dias.

“Os trabalhos acontecem a pedido do MPSC ( Ministério Público de Santa Catarina) para evitar que o local seja utilizado como depósito de detritos que vão à drenagem, além de humanizar a área”, explicou o fiscal. “Depois disso, as prefeituras de Florianópolis e São José deverão decidir como querem realizar esses trabalhos de humanização”, acrescentou.

Há pelo menos um ano, o grupo DOA (Defesa, Orientação e Apoio às Pessoas em Situação de Rua), coordenado pelo MPSC com o apoio de várias entidades, tem realizado ações no local para coibir tráfico de drogas na região. Tomado por lixos e barracos, o local passou limpeza várias vezes, enquanto equipes faziam a identificação e a orientação a moradores de rua, que persistem em ficar na região.

A mais recente dessas ações aconteceu um dia antes de começar as obras. “Na quinta-feira (2) a equipe do Doa , Secretaria do Continente e Comcap esteve lá  oferecendo oportunidades e orientando os usuários de droga e moradores de rua, bem como recolhendo grande quantidade de lixo”, informou o promotor de Justiça Daniel Paladino, um dos responsáveis pela ação. 

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade