Publicidade
Segunda-Feira, 10 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 19º C

Maricultores de Florianópolis oferecem turismo de experiência nas fazendas de ostras

O visitante pode conhecer de perto a produção e, no final do passeio, degusta a iguaria

Tata Fromholz, especial para o Notícias do Dia
Florianópolis
10/09/2017 às 21H34

O Ribeirão da Ilha, localizado a 21 km do Centro de Florianópolis, é um dos bairros mais charmosos da cidade, com suas casas em estilo açoriano e uma calmaria sem tamanho. É ali também que se pode apreciar um dos pratos mais conhecidos e desejados do litoral catarinense, as ostras. A fama desse molusco é tanta que alguns produtores resolveram abrir as portas de suas fazendas de cultivo para os visitantes que querem saber mais sobre a produção da iguaria, além de saboreá-las numa verdadeira imersão cultural e local.

Iguaria faz parte do turismo de experiência no Sul da Ilha - Sávio Milani/Divulgação/ND
Iguaria faz parte do turismo de experiência no Sul da Ilha - Sávio Milani/Divulgação/ND



Num sábado, com o mar agitado e o vento sul dando as boas vindas, acompanhamos um grupo de Blumenau que veio especialmente fazer o Ostra Xperience, um turismo de experiência oferecido por um dos maricultores da região. Alberto Fermiano, o Beto, é geógrafo por formação e pescador profissional há quase 20 anos. Há nove, ele resolveu investir nas acomodações do seu rancho, sendo o pioneiro nesse tipo de turismo e nesses anos todos faz questão em receber os grupos pessoalmente, contando um pouco da sua rotina e sobre o processo de produção dos moluscos. “As ostras são o nosso principal produto e a produção delas fez com que o Ribeirão seja reconhecido como o maior produtor estadual dessa iguaria. Isso nos enche de orgulho”.

O visitante ainda descobre que as ostras criadas por aqui são exóticas, naturais do oceano Pacífico e não se reproduzem naturalmente nas nossas águas, além de aprender que essa espécie não é a que produz pérolas, o que gerou alguns suspiros de decepção. Após a explicação sobre a produção, é chegada a hora da degustação. Dúzias de ostras ao bafo e ao natural são oferecidas aos visitantes, alguns deles tendo o contato com o molusco pela primeira vez, num misto de estranheza e curiosidade. O marceneiro Volnei dos Santos Fraga era um dos mais interessados nos relatos e foi ele a se prontificar a pescar num aquário a primeira ostra que provaria na vida, in natura e com uma boa dose de limão.

A melhor época para consumir as ostras

Para quem aprecia um bom prato de ostras, é interessante saber que a época ideal para o consumo é entre o outono e a primavera e que recém-retiradas do mar devem estar totalmente fechadas, nunca abertas. Quanto ao que beber para acompanhar a degustação, a sommelier Thabata Calazans explica que “tanto a comida quanto a bebida devem se harmonizar e um não pode se sobressair ao outro. Espumantes e vinhos brancos são ideais principalmente pela acidez que possuem, já as cervejas e bebidas feitas com destilados, como a caipirinha por exemplo acabam brigando com o sabor do molusco. A cachaça apesar de destilada é uma boa opção para quem quer sentir bem o sabor marcante da ostra”.

A atividade de criação das ostras no Ribeirão da Ilha começou no início dos anos 90, através de uma parceria entre pesquisadores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e a Epagri como alternativa de renda aos pescadores.  Santa Catarina acabou tornando-se o maior produtor nacional do molusco, responsável por mais de 90% da produção de todo o país. Atualmente o Laboratório de Moluscos Marinhos da Universidade produz as sementes de ostras japonesas que são oferecidas aos maricultores. Essas sementes têm a aparência e o tamanho de um grão de areia e após ficarem de seis a sete meses engordando, chegam ao tamanho ideal para a venda. É preciso quase cem delas para se produzir um quilo de carne. Com poucas calorias e muitos minerais, como cálcio, magnésio e Ômega 3, reza a lenda de que são afrodisíacas. Quem quer descobrir, é só consumir a iguaria, sem moderação.

Ostra Xperience

A visita guiada inclui o bate papo e a degustação das ostras ao bafo e in natura, além de harmonização com espumante catarinense e taça personalizada de brinde.

O passeio acontece somente com agendamento prévio para grupos de no mínimo 5 pessoas.

Fone: (48) 3333 4684/ 98406 1026

Site: www.floripaxperience.com.br

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade