Publicidade
Quinta-Feira, 15 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 20º C

Março registra o maior número de emplacamento de motos desde 2015 em Florianópolis

Das 725 motos emplacadas na Capital nos últimos 12 meses, mais de 50% foram registradas nos primeiros três meses de 2017. Por outro lado, o número de motociclistas mortos é de 21% em rodovias federais

Michael Gonçalves
Florianópolis
04/04/2017 às 23H09
Em março deste ano, Florianópolis registrou 179 emplacamentos de motos, o maior número desde junho de 2015 - Marco Santiago/ND
Em março deste ano, Florianópolis registrou 179 emplacamentos de motos, o maior número desde junho de 2015 - Marco Santiago/ND


As motos são os veículos mais baratos do mercado, os mais econômicos e os mais ágeis, mas também são os mais perigosos. Em março deste ano, Florianópolis registrou 179 emplacamentos, o maior número desde junho de 2015, com 184 registros. Para o gerente de concessionária Franklin Mota, apesar do tímido crescimento, março foi o melhor dos últimos 15 meses em vendas. Com mais motos nas ruas, as estatísticas de acidentes e de infrações também sobem e, conseqüentemente, o número de mortos. De acordo com a PRF (Polícia Rodoviária Federal), das 450 mortes em rodovias catarinenses em 2016, 21,33% (96) são de motociclistas e de seus passageiros.  

Sem dinheiro para comprar uma moto à vista, o copeiro João Marcelo da Silva Marques, 18, optou pelo consórcio para realizar o sonho do primeiro veículo. Após pagar a 3ª parcela, ele pretende retirar a moto CG 160. “Não vou esconder que gosto de acelerar e pretendo gastar muita gasolina na BR-101 dando voltinhas. Sei do perigo que é conduzir uma motocicleta, mas estou ansioso em sair rodando”, comentou o jovem.

Uma motocicleta mais simples pode sair pelo valor mínimo de R$ 6 mil. A compra ainda fica mais facilitada quando o veículo é zero quilômetro. Dependendo do perfil do cliente, ela pode ser adquirida sem entrada e com parcelas a partir de R$ 230. No consórcio, o preço fica ainda mais conta com planos com prestações de R$ 160. Levando em conta que uma moto faz 30 quilômetros por litro, a compra fica ainda mais atraente.  

A expectativa do gerente de concessionária Franklin Matos é de que as vendas aumentem cada vez mais. “Não tem como relacionar somente a liberação das contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), porque o cliente pode pegar o dinheiro para limpar o nome e vem aqui. O ano passado foi bem complicado e ficou pior a partir de abril. A tendência é melhorar com a redução da inflação e com mais empregos”, afirmou.

O aquecimento no mercado de motos gerou a criação de outros serviços, como estacionamentos exclusivos para motos no Centro de Florianópolis. Em média, a hora custa R$ 2.

Aquecimento no mercado de motos gerou a criação de outros serviços, como estacionamentos exclusivos para motos no Centro de Florianópolis - Marco Santiago/ND
Aquecimento no mercado de motos gerou a criação de outros serviços, como estacionamentos exclusivos para motos no Centro de Florianópolis - Marco Santiago/ND


Corredor deve ser usado com cautela

Pelo CTB (Código de Trânsito Brasileiro), cada moto deveria ocupar o mesmo espaço de um automóvel. O inspetor a PRF responsável pela comunicação social, Adriano Fiamoncini, sabe que isso seria impossível em virtude dos congestionamentos. Santa Catarina tem mais de 796 mil motos emplacas, sendo que 44.935 estão em Florianópolis. Diante do grande número de motociclistas, os corredores em estradas duplicadas são ocupados como se fossem uma faixa exclusiva para os veículos de duas rodas.

“Não há previsão do corredor no CTB e a PRF apenas cobra a cautela do motociclista. Uma moto tem muitas vantagens, mas é o pior veículo no quesito segurança. O condutor tem apenas o capacete para se proteger. Aconselhamos que os motociclistas tenham uma velocidade similar a dos carros no corredor. Não aceitamos que a fila parada e o motoqueiro passe no corredor a 80 km/h, porque o mínimo toque já representa um acidente”, esclarece.

A PRF registrou 450 mortes nas nove rodovias federais de Santa Catarina em 2016. Mais de 21% das mortes são de pessoas que estavam sobre as motos. A imprudência é o principal motivo para tantos acidentes fatais. Somente nos três primeiros meses de 2017, 27 motociclistas perderam a vida. “Além do farol ligado e do capacete, o motociclista sempre deve usar roupas claras ou refletivas para a sua segurança. O ideal é que usassem roupas que protejam os cotovelos e os joelhos”, aconselha.  

“Em todos os acidentes envolvendo motos, nunca vi um motociclista sair ileso. No mínimo, ele sai com ferimentos leves nos braços e nas pernas”.

Inspetor da PRF, Adriano Fiamoncini

 

Analista trocou o carro por uma moto

A analista de informática Lusiane Braun, 35, já teve um automóvel. Há cinco anos, ela trocou o carro por uma moto pelos custos e pelas facilidades do veículo de duas rodas. Apesar de ter sofrido um acidente e colocado pinos no cotovelo, ela redobrou os cuidados e agora usa uma jaqueta especial.

“Moro em Palhoça e trabalho no Centro de Florianópolis. Deixei de ficar 1h30min na fila, porque hoje levo menos de 30 minutos para fazer o mesmo trajeto. Durante um dia de trânsito tranqüilo, um veículo fez uma curva e me levou junto. A partir daí comecei a investir na minha segurança com um capacete de qualidade e roupas apropriadas. Infelizmente, existem motociclistas e motoristas imprudentes, porque falta educação”, conta.

O instrutor de auto-escola Adriano Pereira trabalha ensinando novos condutores de motos há 10 anos. Ele sabe reconhecer quem não nasceu para viver em duas rodas, mas não pode dizer a verdade. “Há poucos dias duas irmãs desistiram, porque viram que não teriam como andar com segurança. Infelizmente, a minha função é de ensinar e de incentivar ao aprendizado. No geral, a maior dificuldade dos iniciantes é no tempo da arrancada”, revela.  

 

Os números

Frota de motocicletas                   Dezembro/16   Janeiro/17          Fevereiro/17     Março/17

Florianópolis                                     44.571                  44.652                  44.756                  44.935                 

Santa Catarina                                  791.437                792.885                794.137                796.066

De março de 2016 ao mesmo período de 2017, Florianópolis ganhou mais 725 motos;

50,2% (364) entraram no mercado neste ano, de janeiro a março, na Capital;

Santa Catarina ganhou 10.033 motos, de março de 2016 ao mesmo período de 2017;

Somente de janeiro a março de 2017, Santa Catarina ganhou mais 4.629 (46,13%) motocicletas

Fonte: Detran  

 

Mortes em rodovias federais em SC

450 mortes em 2016

96 motociclistas

25 em veículos de carga

16 ciclistas

64 pedestres

249 demais veículos

Fonte: PRF

 

Acidentes em 2017*

812 acidentes envolvendo motociclistas;

980 motociclistas e passageiros ficaram feridos;

27 mortos, incluindo passageiros.

*de janeiro a março.

Fonte: PRF

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade