Publicidade
Quarta-Feira, 14 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 30º C
  • 22º C

Após acidente, manifestação em São José pede recolhimento de animais abandonados nas ruas

Pela manhã um motociclista morreu depois de colidir com um cavalo no bairro Potecas

Brunela Maria
São José
03/04/2017 às 22H37

Mais de 300 pessoas participaram, no final da tarde desta segunda-feira (3), de um protesto na rua Acelino Pereira, no bairro Potecas, em São José, na Grande Florianópolis, com o objetivo de chamar a atenção da comunidade para o problema dos animais soltos em via pública. Pela manhã, um motociclista morreu depois de colidir contra um cavalo.

“Alcançamos nosso objetivo, que era chamar a atenção dos moradores para a situação desses animais soltos na rua. Infelizmente teve essa tragédia com o morador do bairro Taumã", lamentou o presidente da Associação dos Moradores do Loteamento Jardim Botânico, Fábio Augusto Oliveira.

>> Motociclista morre ao colidir com cavalo em São José e comunidade organiza manifestação

Moradores reclamam do descaso com o bairro e do abandono dos animais nas ruas - Divulgação/ND
Moradores reclamam do descaso com o bairro e do abandono dos animais nas ruas - Divulgação/ND


Um convênio com o Sindicato Rural, que garantia o recolhimento dos animais, teria sido encerrado na última sexta-feira (31). A empresa terceirizada, contratada pelo sindicato, informou que não pretende continuar a realizar o serviço. Uma nova empresa está sendo avaliada. O sindicato não se pronunciou oficialmente sobre o assunto.

A superintendente da Fundação do Meio Ambiente, Fernanda Vieira, confirmou o vencimento do contrato, mas reforçou que um contrato emergencial dará continuidade aos trabalhos de recolhimento dos animais, sem deixar a população desguarnecida. “O termo de cooperação não foi assinado ainda porque aguardamos as tratativas das documentações. A população não ficou sem atendimento nesse período, porque temos o contrato emergencial com o sindicato”, explica.

Além disso, o contrato do veterinário, responsável pela realização dos exames pós-recolhimento, também venceu. Por ser alvo de ameaças, o profissional estaria com medo de continuar a realizar os trabalhos. “Ele recebeu ligações ameaçando de morte e orientamos a registrar um boletim de ocorrência”, diz.

Os vereadores Nardi Arruda (PSD), Antônio Lemos (PMDB) e Abel Veiga (PHS) compareceram à manifestação. A expectativa dos moradores é que o tema dos animais soltos na pista seja levado à Câmara da cidade. “Ficamos felizes, porque os parlamentares que estiveram aqui já moraram nessa área, então sabem desses anseios da comunidade. Não é só boi, cavalo ou vaca, os cachorros soltos também podem provocar um acidente grave. O poder público precisa entender isso”, comenta Oliveira.

Nesta terça-feira (4), um grupo da associação pretende ir até o CTG Os Praianos verificar os animais recolhidos durante esta segunda, depois do acidente. Os quatro cavalos foram levados da sede da Secretaria de Meio Ambiente para o local. Eles ainda receberam auxílio de um veterinário, segundo Oliveira.

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade