Publicidade
Domingo, 23 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Mais integração na fronteira do Brasil com Argentina

Governadores do Paraná, Santa Catarina e Missiones (Argentina) firmam protocolo para aumentar capacidade da aduana

João Meassi
Florianópolis
Divulgação/Neiva Daltrozo/ND
Governadores Maurice Fabian (E), Beto Richa (C) e Raimundo Colombo assinam protocolo

O aumento da capacidade da Aduana Integrada de Cargas no Porto Seco de Dionísio Cerqueira, na divisa com o Paraná e fronteira com a Argentina, de 1.300 para 4.000 atendimentos dia,  foi um dos temas tratados entre os governadores Raimundo Colombo (DEM),  Beto Richa (PSDB) e Maurice Fabian, da província argentina de Missiones, durante encontro na manhã de ontem, em Curitiba. 
Na aduana a Receita Federal deverá aplicar R$ 10 milhões. A licitação sai neste mês com previsão de término da obra em 2012. O objetivo tripartite é transformar o Porto Seco de Dinísio Cerqueira em segunda opção de tráfego de cargas, desafogando a fronteira com Foz do Iguaçu. No encontro foi assinado acordo de integração da fronteira.
Um dos pontos do acordo é a formação do Parque Turístico Ambiental da Integração, que abrange as cidades de Dionísio Cerqueira, em Santa Catarina, Barracão, no Paraná, e de Bernardo de Irigoyen, na Argentina. Com cerca de 50 mil metros quadrados, o parque será um instrumento de proteção de nascentes e servirá de lazer aos 150 mil turistas que transitam pela região a cada ano.
O governo catarinese já fez investimentos no parque.  “O projeto é feito por pessoas com idealismo e com simplicidade. Temos a consciência da luta desse povo, que trabalha com o espírito de partilha. Nosso compromisso é de dar andamento ao que está em curso”,
ponderou o governador Colombo.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade