Publicidade
Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 17º C

Mais de 70 pessoas morrem após enchentes e deslizamentos no Japão

Cerca de 2 milhões terão que deixar suas casas após tempestade no país

Folha de São Paulo
São Paulo (SP)
08/07/2018 às 19H18

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Mais de 70 pessoas morreram e cerca de 2 milhões terão que deixar suas casas no Japão em decorrência de enchentes e deslizamentos causados por uma tempestade, segundo informações divulgadas pela imprensa local neste domingo (8).

As chuvas começaram na sexta (6) e atingem a principalmente região de Hiroshima (a cerca de 600 km de Tóquio). O governo divulgou um balanço provisório com 57 mortes, mas os jornais japoneses confirmam que o total de vítimas é ao menos de 76.

Chuvas começaram na sexta-feira - STR / JIJI PRESS / AFP
Chuvas começaram na sexta-feira - STR / JIJI PRESS / AFP


O número, porém, pode ser ainda maior, já que há dezenas de desaparecidos. A agência de notícias Reuters afirmou que são ao menos 88 mortes. A previsão é que a chuva continue por pelo menos mais um dia e ao menos cem pessoas ficaram feridas.

Com isso, o governo ordenou a retirada de que quase 2 milhões de pessoas de diferentes regiões e emitiu alertas de deslizamento por todo o país. 

"As operações de resgate, o salvamento de vidas e as retiradas são uma corrida contra o tempo", declarou o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe durante uma reunião extraordinária para debater o assunto. Ele disse que 54 mil pessoas participam das operações de resgate em todo o país. 

Em toda a região de Hiroshima serviços de emergência e equipes militares usaram helicópteros e barcos para resgatar pessoas de rios que transbordaram e de prédios, incluindo hospitais.

Cerca de 2.000 pessoas já foram resgatadas após ficarem isoladas na cidade de Kurashiki, em Okayama,   entre elas dezenas de funcionários e pacientes de um hospital, incluindo alguns ainda de pijama. 

Um funcionário da prefeitura disse que 170 pacientes e funcionários foram retirados do hospital, enquanto a emissora local NHK informou que cerca de 80 pessoas ainda estavam presas.

"Estou muito grato à equipe de resgate", disse Shigeyuki Asano, paciente de 79 anos que passou a noite sem eletricidade nem água. "Estou muito aliviado de ter sido libertado daquele lugar escuro e fedido."

Imagens de televisão mostraram uma extensiva operação de resgate, com cerca de 2.310 resgatadas na cidade, de acordo com a NHK.

"As operações de resgate estão sendo conduzidas ininterruptamente, 24 horas por dia", disse à agência de notÍcias AFP Yoshihide Fujitani, responsável pela gestão catástrofes do município de Hiroshima. "Também estamos cuidando dos desabrigados e tentando recuperar as infraestruturas vitais, como as redes de água e gás", declarou. 

Já Mutsunari Imawaka, porta-voz do gabinete de gestão de catástrofes de Okayama, afirmou que ainda é difícil fazer um balanço dos estragos. "A catástrofe é enorme e trabalhamos duro para salvar o maior número de vidas possível".

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade