Publicidade
Segunda-Feira, 17 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 32º C
  • 22º C

Mais de 20 trabalhadores são resgatados em condições análogas à escravidão em SC

Além das condições precárias de moradia, auditores receberam denúncia de que trabalhadores estariam sendo pagos com drogas

Redação ND
Florianópolis
03/12/2018 às 16H57

Auditores-fiscais do Trabalho, com o apoio de agentes da PRF (Polícia Rodoviária Federal), resgataram 22 trabalhadores que estavam em condições análogas à de escravo no município do Bom Retiro, na região da Serra de Santa Catarina. A operação foi iniciada em 30 de novembro.

Conforme a Superintendência Regional do Trabalho no Estado, os trabalhadores foram recrutados no Piauí para prestar serviços a produtores de cebola, tendo sido transportados sem prévia comunicação ao Ministério do Trabalho e sem registro em Carteira de Trabalho, o que configura, em tese, crime de aliciamento, previsto no Código Penal.

Casa apresentava graves problemas de infiltração - Superintendência Regional do Trabalho em Santa Catarina/Divulgação
Casa apresentava graves problemas de infiltração - Superintendência Regional do Trabalho em Santa Catarina/Divulgação


Os auditores-fiscais verificaram ainda que todos os trabalhadores estavam alojados em uma única casa, com três quartos, sem as mínimas condições de higiene e conforto, havendo lixo acumulado por todo o local, ausência de fornecimento de água potável e filtrada, pedaços de espuma improvisados como colchões e instalações sanitárias em condições precárias de manutenção e higiene.

A casa ainda apresentava graves problemas de infiltração, fazendo com que a água da chuva invadisse os cômodos, misturando-se à sujeira e lixo acumulados no local, e atingindo os colchões e pertences dos ocupantes.

Ainda segundo o órgão, os trabalhadores foram deslocados para um hotel na região, enquanto aguardam a conclusão dos procedimentos de resgate e o pagamento das verbas rescisórias, emissão de guias de seguro-desemprego e retorno ao local de origem.

Trabalhadores viviam em meio a sujeira e lixo - Superintendência Regional do Trabalho em Santa Catarina/Divulgação
Trabalhadores viviam em meio a sujeira e lixo - Superintendência Regional do Trabalho em Santa Catarina/Divulgação


Suspeita de pagamento com crack

A equipe de fiscalização recebeu informações de que haveria outros aliciadores na região, havendo inclusive relatos de que trabalhadores estariam sendo pagos com drogas, especialmente crack. As denúncias serão investigadas pelos auditores-fiscais e informadas às autoridades competentes para apuração de ilícitos na esfera criminal.

A Superintendência Regional do Trabalho em Santa Catarina informou que voltou a intensificar neste ano a fiscalização na colheita da cebola, já que a atividade permanece como importante foco de infrações trabalhistas no Estado. A operação também contou com o apoio da Secretaria de Assistência Social de Bom Retiro, que realizou o acolhimento dos trabalhadores.

Publicidade

3 Comentários

Publicidade
Publicidade