Publicidade
Quarta-Feira, 14 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 30º C
  • 22º C

Mãe do menino abandonado em Itajaí diz que situação foi simulada em ato de desespero

A jovem de 18 anos afirmou que foi ela quem ligou para a polícia e que simulou a situação pois não tinha lugar para passar a noite com o menino

Redação ND
Florianópolis
12/06/2018 às 16H45
Mãe da criança não quis de identificar, mas explicou o motivo de ter simulado a situação - RICTV Record/Reprodução/ND
Mãe da criança não quis de identificar, mas explicou o motivo de ter simulado a situação - RICTV Record/Reprodução/ND


A mãe do menino de dois anos de idade encontrado sozinho atrás de uma loja de motos em Itajaí, no dia 2 de junho, disse que nunca abandonou o filho. Segundo ela, toda a situação foi simulada, pois os dois não tinham onde passar aquela noite. Em entrevista à RICTV Record, a jovem de 18 anos revelou que foi ela quem chamou a Polícia Militar e disse que estava lá durante o atendimento da PM e do Conselho Tutelar.

Segundo a mãe da criança, foi um ato de desespero e, até que o Conselho Tutelar chegasse ao local, ela não saiu de perto da criança. “Ele chorando do meu lado, eu parei na esquina, peguei o celular da minha amiga, liguei. Falei que a gente tinha achado uma criança abandonada. Quando a polícia chegou, eu com ele no colo falei para eles que ele estava abandonado, que a gente tinha achado ele ali”, disse.

Ela mora em Itajaí há cinco meses. O filho tinha ficado com a avó, mas há dois meses o menino foi trazido para Itajaí. A jovem é garota de programa e morava no local onde trabalha. Por isso, a criança não poderia ficar nesse local com ela. Foi então que mãe e filho foram morar em uma casa.

O local onde a moça morou com o menino por cerca de um mês estava completamente sujo, com restos de comida, resíduos de cigarros e roupas pelo chão. A mulher que cedeu um quarto da casa para a mãe do menino e cuidou dele por vários dias, disse à equipe da RICTV que ele sofria maus tratos e que o pequeno foi deixado sozinho diversas vezes.

A mãe se defendeu e disse que nunca maltratou o filho e não usa drogas: “Isso não é realidade”. A jovem quer o filho de volta e disse que só precisa de tempo para organizar a vida. “Eu vou correr atrás, vou pegar uma casa e vou ficar com ele. Eu não dei o meu filho”, falou.

Confira mais informações na reportagem do Balanço Geral Florianópolis:

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade