Publicidade
Terça-Feira, 11 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 30º C
  • 20º C

Lula recebe condecoração de cidadão catarinense durante passagem por Florianópolis

Caravana do petista pelo sul do país passará pelo Oeste do estado e será encerrada em Curitiba na próxima quarta-feira (4); grupos contrários também protestaram na capital catarinense

Fábio Bispo
Florianópolis
26/03/2018 às 10H30

A passagem da caravana do ex-presidente Lula (PT) por Florianópolis, neste sábado, levou uma multidão de apoiadores do petista ao largo São João Paulo II, em frente à Catedral Metropolitana. Prometendo retomar a reforma agrária, federalizar o ensino médio e extinguir o Imposto de Renda para quem ganha até cinco salários mínimos caso seja eleito, o ex-presidente manteve a base dos discursos que fez em Curitiba (PR) e Porto Alegre (RS), quando recebeu as condenações em primeiro e segundo grau no caso do triplex do Guarujá (SP).

Lula em SC  - Daniel Queiroz/ND
Uma multidão de apoiadores do ex-presidente ao largo São João Paulo II, em frente à Catedral Metropolitana - Daniel Queiroz/ND

A chegada de Lula a Florianópolis atrasou em mais de uma hora. O encontro com reitores e líderes políticos que estava arcado para as 10h da manhã na Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina) só começou perto do meio dia. 

No largo da Catedral, às 14h, Lula recebeu o título de cidadão catarinense, condecoração aprovada pela Alesc ainda em 2008 e que gerou polêmica ao ser anunciada para ser entregue durante a passagem do petista pela Capital, quase dez anos após ser aprovada. Na época, a justificativa dos deputados foi reconhecer o petista “pelos grandes investimentos feitos pelo governo federal no Estado". A honraria foi entregue pelos deputados estaduais do PT Ana Paula Lima, Dirceu Dresch e Luciane Carminatti.

No palanque, Lula criticou a Lava Jato e a longa exposição de seu nome em matérias negativas na imprensa. Disse ainda duvidar que o juiz Sérgio Moro seja mais honesto que ele e não poupou também o procurador federal Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato: “já deveria ter sido exonerado”, disse.

Lula em SC  - Daniel Queiroz/ND
Lula criticou a Lava Jato e a longa exposição de seu nome em matérias negativas  - Daniel Queiroz/ND

Rememorando a carreira do metalúrgico que chegou à presidencia da república —com trajetória que incluiu tempos de alta popularidade, o encontro com o ex-presidente americando Barack Obama que o chamou de "o cara" e avanços nas áreas sociais—, Lula chegou a dizer que não seria mais candidato a presidente, mas as circunstâncias que culminaram no impeachment de Dilma, em agosto de 2016, e com seu envolvimento na Lava Jato, o fizeram voltar à disputa neste ano de 2018: 

“Eu não posso aceitar que neste país prevaleça a mentira. Porque esse processo não é contra mim, mas contra nossas conquistas. O Lula não é esse que está aqui, este aqui é uma representação, porque o Lula são milhões e milhões de pessoas neste país”, disse.

Grupo contrário marcou presença na Catedral

A passagem de Lula por Florianópolis, um dia após a caravana que percorre o sul do país ser impedida de chegar à cidade de Passo Fundo (RS), onde o ex-presidente foi impedido de passar por militantes ligados ao candidato Jair Bolsonaro (PSL-RJ), despertou alerta nas forças de segurança, que redobraram o policiamento nos pontos de manifestação em Florianópolis.

Apesar de estarem marcadas para ocorrerem em regiões diferentes da cidade --o grupo contrário a presença do ex-presidente no trapiche da Beira-Mar enquanto os prós no largo da Catedral--, parte parte dos manifestantes contrários a Lula marchou para região central e realizaram atos na Alesc e nas imediações de onde estavam os petistas. 

Ainda antes do discurso de Lula, manifestantes dos dois lados trocaram xingamentos e atiraram ovos uns nos outros em frente a Catedral. A Polícia Militar interviu com a cavalaria e impediu que partissem para o conflito. Cerca de 150 pessoas contrárias ao ex-presidente acabaram impedidas de acessar o largo da Catedral por motivo de segurança.

Lula em SC  - Daniel Queiroz/ND
Parte dos manifestantes contrários a Lula quebrou o combinado com as polícias e marchou para região central da cidade - Daniel Queiroz/ND



Promessas às vésperas de novos julgamentos no TRF-4 e STF

O ato também foi marcado com a filiação do desembargador aposentado Lédio Rosa de Andrade, cotado para concorrer ao governo do Estado, ao Partido dos Trabalhadores. Acompanhado do ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, Lula fez paralelos entre a história do Brasil e a educação no país, uma das últimas grandes nações da América Latina a ter acesso ao ensino superior. “A nossa primeira universidade só veio 420 anos depois do descobrimento, em uma demonstração de que a elite perversa desse país nunca se preocupou com a educação do trabalhador”, disse.

O ex-presidente também fez promessas de campanha anunciando que fará mudanças na educação e no Imposto de Renda, caso consiga concorrer e ser eleito. “Nós vamos ousar. Quem ganha até cinco salários mínimos não pagará imposto de renda neste país. Eu já falei para o Haddad, pode estudar quanto vai custar, porque nós vamos federalizar o ensino médio neste país”, declarou prometendo ainda revogação dos atos do presidente Michel Temer (PMDB).

Ainda neste sábado o presidente realiza ato em Chapecó, no Oeste, antes seguir para Nova Erechim, São Miguel do Oeste e partir para o Paraná, onde encerra a caravana pela região sul na quarta-feira em Curitiba, mesmo dia em que o TRF-4 julga o embargo da defesa do ex-presidente contra decisão que aumentou a pena do juiz Sérgio Moro, que passou de nove anos para 12 e um mês de prisão.

Mas além do julgamento do embargo no TRF-4, que não tem mais poder de anular a decisão do juiz Sérgio Moro, os petistas creditam suas apostas agora na sessão do STF (Supremo Tribunal Federal) do dia 4 de abril, quando os ministros retomam o julgamento do habeas corpus da defesa do ex-presidente que pede que ele não seja preso antes que o processo transite em julgado. Este julgamento acabou adiado na última quinta-feira (22) com a concessão de uma liminar para que Lula não seja preso antes dos ministros apreciarem o habeas corpus. Com isso, mesmo que tenha seus recursos negados, Lula não poderá ter sua prisão decretada na próxima quarta.

Veja como foi a passagem de #LulaemSC:

 

Publicidade

11 Comentários

Publicidade
Publicidade