Publicidade
Terça-Feira, 25 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 18º C

Latam demite funcionário envolvido em vídeo de assédio na Rússia

São pelo menos três casos de vídeos ridicularizando mulheres estrangeiras divulgados desde o início do Mundial, entre eles um que envolve um policial militar de Santa Catarina

Folha de São Paulo
São Paulo (SP)
20/06/2018 às 15H12

JOSÉ EDGAR DE MATOS E LEANDRO CARNEIRO

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A Latam demitiu nesta quarta-feira (20) o funcionário Felipe Wilson, envolvido em um vídeo de assédio moral com russas durante a Copa do Mundo. A reportagem confirmou o desligamento com fontes ligadas à empresa.

Wilson participou de uma gravação na qual pede para três russas repetirem uma frase de baixo calão em português. Nas imagens, os dois homens incentivam as mulheres a falar: “eu quero dar a b... para vocês”.

Felipe Wilson aparece em vídeo ridicularizando três mulheres - Reprodução
Felipe Wilson aparece em vídeo ridicularizando três mulheres - Reprodução


Consultada pela reportagem desde terça (19), a Latam diz ter ficado incomodada com a postura do funcionário, que atuava como supervisor de aeroportos. Na manhã desta quarta, a companhia aérea divulgou um novo comunicado para tratar sobre a saída do funcionário.

“A LATAM Airlines Brasil repudia veementemente qualquer tipo de ofensa ou prática discriminatória e reforça que qualquer opinião que contrarie o respeito não reflete os valores e os princípios da empresa. A partir deste pressuposto, a companhia informa que tomou as medidas cabíveis, conforme seu código de ética e conduta", escreveu.

São pelo menos três casos de vídeos de assédio divulgados desde o início do Mundial. Nesta quarta, uma nova filmagem mostra um brasileiro agindo de maneira semelhante ao pedir para uma russa falar "você vai dar para todo mundo de Montes Claros."

Os casos podem se tornar um problema jurídico no país-sede da Copa do Mundo. A jurista Alena Popova entrou com uma denúncia após recolher assinaturas em uma petição que recrimina o ato de alguns brasileiros no país.

>> PM catarinense está em grupo que gravou vídeo assediando mulher na Copa na Rússia

Publicidade

2 Comentários

Publicidade
Publicidade