Publicidade
Sexta-Feira, 21 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 17º C

Justiça pede acolhimento de idosa abandonada em frente a asilo em Brusque

Caso a família não consiga custear as despesas, a determinação é para que prefeitura pague. Contudo, amiga pode ficar com a mulher por mais tempo

Everton Palaoro
Tijucas
21/07/2018 às 15H42

A justiça concedeu liminar obrigando a família a custear as despesas de internação da idosa abandonada em um asilo de Brusque. Caso os familiares não possam arcar com o custo, caberá a Prefeitura de Tijucas pagar. Entretanto, a única instituição da cidade não tem mais vagas. 

Lar Santa Maria da Paz precisa de verba para ampliar vagas - Luiz Junior/Vip Social/Divulgação
Lar Santa Maria da Paz precisa de verba para ampliar vagas - Luiz Junior/Vip Social/Divulgação


O MPSC (Ministério Pùblico de Santa Catarina) havia informado em nota, que a família substituta só poderia ficar com a idosa até sexta-feira, 20. Porém, a Prefeitura de Tijucas esclareceu que tem acompanhado o caso e que a mulher está sob cuidados de uma amiga e que esse prazo não havia sido dado.

Na representação, o Promotor de Justiça Fred Anderson Vicente buscou garantir a aplicação de medidas de proteção previstas no Estatuto do Idoso, em virtude do abandono da senhora pela família e da falta de perspectiva de atendimento pelo Poder Público.

A idosa foi abandonada pelo sobrinho, com quem morava, perto da meia-noite do dia 11 de julho deste ano em frente a um lar para idosos no Município de Brusque. A instituição, porém, era particular e não a acolheu, chamando a Polícia Militar para cuidar do caso.

O Lar Santa Maria da Paz tem capacidade para atender 60 idosos. Todas as vagas estão preenchidas. A instituição é mantida por doações e com 70% do salário dos idosos, que na maioria é de um salário minímo.

Luiz Carlos Santana, que coordena o Lar, diz que dos R$ 110 mil mensais utilizados na manutenção, apenas 10% são de recursos públicos. “Temos um convênio de R$ 9 mil para pagar a conta de energia e outro com o Ministério Pùblico, para receber adolescentes que cumprem medidas socioeducativas”, explicou.

Para acomodar mais pesssoas, o Lar começou uma ampliação há anos, mas enfrenta dificuldades para concluir a enfermaria e os novos quartos. O custo para finalizar a construção é de R$ 300 mil, que precisam ser captados ainda.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade