Publicidade
Quinta-Feira, 20 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 23º C
  • 18º C

Joesley e Saud ficam em silêncio em depoimento sobre áudio, na Polícia Federal

Segundo a defesa, o motivo do silêncio foi a decisão de Janot de revogar a imunidade penal de ambos

Folha de São Paulo
Brasília (DF)
14/09/2017 às 19H01

BELA MEGALE (FOLHAPRESS) - O empresário Joesley Batista, sócio da J&F, controladora da JBS, ficou calado no depoimento marcado para esta quinta-feira (14) sobre o áudio gravado entre ele o ex-funcionário de sua empresa e também delator Ricardo Saud. Os dois estão presos na superintendência da Polícia Federal, em Brasília, desde segunda-feira (11). Assim como Joesley, Saud não falou.

O empresário Joesley Batista ficou em silêncio durante depoimento na Polícia Federal, nesta quinta - Rovena Rosa/Agência Brasil/Divulgação/ND
O empresário Joesley Batista ficou em silêncio durante depoimento na Polícia Federal, nesta quinta - Rovena Rosa/Agência Brasil/Divulgação/ND


O motivo do silêncio, segunda a defesa, foi a notícia publicado pela Folha de S.Paulo de que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, decidiu revogar a imunidade penal de ambos. A possibilidade de repactuação do acordo com a PGR no tocante a tempo de prisão hoje é remota, conforme apurou a reportagem. O mais provável é que haja rescisão, com a perda total de benefícios.

"Eles seguiram a orientação da defesa de ficar em silêncio. A imprensa está noticiando que Janot pediu a rescisão do contrato de delação mesmo nós entendendo que os dois executivos não cometeram crimes", disse Antônio Carlos Almeida Castro, chamado de Kakay. O criminalista disse que optou pelo silêncio porque não sabe o que Joesley e Saud "são juridicamente, se são colaboradores ou se são investigados".

Antes de ter conhecimento da decisão de Janot, a ideia da defesa era que ambos falassem sobre os detalhes de como a gravação ocorreu. Eles também explicariam a participação do ex-procurador Marcello Miller nas tratativas do acordo, segundo pessoas ligadas à empresa.

Na tarde desta quinta-feira (14) a PGR irá definir se Joesley e Saud terão a prisão temporária prorrogada por mais cinco dias ou se ela será convertida em preventiva, ou seja, sem data parta terminar.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade