Publicidade
Domingo, 23 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Italiano Cesare Battisti desiste de palestrar em evento da UFSC, em Florianópolis

Condenado na Itália por terrorismo e asilado no Brasil, ele chegaria nesta quarta-feira na cidade para falar de sua obra literária

Felipe Alves
Florianópolis

Uma palestra com Cesare Battisti, condenado na Itália por terrorismo e asilado no Brasil, que seria realizada nessa quarta-feira na UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) foi cancelada. A comunicação foi feita por e-mail pelo próprio Battisti. A mensagem foi enviada na madrugada dessa terça-feira. O italiano teria acatado uma recomendação do governo federal. Segundo a organização do evento, Battisti receberia R$ 900 por hospedagem e transporte, e bancaria a própria alimentação.

Battisti era o principal palestrante do evento “Quem Tem Direito ao Dizer”, promovido pelo PET Letras, o programa nacional de educação tutorial, que é gerenciado pelo Ministério da Educação. Segundo o professor Fábio Lopes da Silva, tutor local do programa, o objetivo do encontro é “dar voz aos malditos, aos proscritos e aos excluídos”.

No e-mail recebido por Fábio, ao qual o ND teve acesso, o italiano pede desculpas pela “comunicação tardia” e declara que foi orientado a declinar do convite pelo senador Eduardo Suplicy (PT-SP) e pelo assessor de assuntos internacionais da Presidência, Marco Aurélio Garcia, para não violar “obrigações com as leis deste país”.

Suplicy informou que telefonou para Battisti na noite de segunda-feira, depois de conversar com Marco Aurélio Garcia e ouvir dele que o evento “estava ganhando conotação política e poderia prejudicar Battisti”. Conforme Suplicy, a intenção de Battisti não era fazer observações políticas ou comentar a relação entre Brasil e Itália. “Ele iria falar dos seus livros. Mas eu ponderei a ele para não ir”, disse o senador.

“Repliquei com todos os detalhes que a palestra seria feita na faculdade de letras, que o objetivo era exclusivamente o meu percurso enquanto escritor. Apesar disso me foi fortemente recomendado de não ir a Florianópolis porque as consequências para mim poderiam ser graves”, escreveu Battisti a Fábio.

O evento foi mantido e o biógrafo de Battisti, Carlos Lungarzo, foi convidado a assumir a palestra do italiano.

Histórico de Battisti no Brasil

- Cesare Battisti foi condenado à prisão perpétua na Itália por quatro homicídios e terrorismo. Ele nega envolvimento nos assassinatos e diz ser vítima de perseguição política.

- Battisti entrou ilegalmente no Brasil em 2004, e foi preso pela Polícia Federal no Rio de Janeiro três anos depois – atualmente mora em São Paulo.

- Em 2009 recebeu do governo brasileiro o status de refugiado político, o que abriu uma crise diplomática com a Itália. O italiano foi mantido preso até 2011, quando o STF (Supremo Tribunal Federal) validou a decisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de mantê-lo no país.

- No Brasil, Battisti foi condenado a dois anos de prisão por uso de passaporte falso. Mas a pena foi revertida em prestação de serviços à comunidade e pagamento de dez salários mínimos a entidades de assistência social.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade