Publicidade
Quarta-Feira, 21 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 17º C

Frio vai ficar mais rigoroso ainda nos próximos dias em Florianópolis

Quinta-feira (9), na Capital, os termômetros devem registrar mínimas de 3°C no início da manhã

Elaine Stepanski
Florianópolis

A semana começou com baixas temperaturas, e a previsão é de esfriar ainda mais, com a chegada de uma nova massa de ar polar. A previsão, segundo a Epagri/Ciram, é que o frio rigoroso e persistente atinja seu ápice na quinta-feira, com registros negativos e a formação de geada nas áreas altas do Oeste ao Planalto. Em Florianópolis, a mínima será de 3ºC e a máxima de 5ºC durante a madrugada e a manhã. Na Serra, a neve não está descartada, principalmente no sábado e domingo. A temperatura estará de 2°C a 6°C abaixo do esperado para este mês em boa parte do Estado. Em Urupema, a mínima na quinta-feira será de -5ºC.

Marco Santiago/ND
Vanessa (à esq.) e Paloma foram ver como estavam as ondas no Campeche


Na Capital, a queda brusca nos termômetros fez muita gente tirar, além de casacos e roupas de inverno dos armários, acessórios para se proteger do ar gelado. Nas ruas, cachecóis, lenços e boinas eram itens indispensáveis para quem precisou sair de casa nesta segunda-feira.

A vendedora Jéssica de Brito, 24 anos, que vai trabalhar todos os dias de moto, reforçou a proteção contra o frio. “No que se refere a roupas para se agasalhar estou preparada, mas indo e voltando de moto a gente sente ainda mais o frio”, disse.

Quem precisou sair da cama mais cedo, também sentiu e reclamou do frio. “A semana começou muito fria, principalmente para quem acorda cedo. Às 6h o frio estava de congelar, mas estou acostumada”, contou a auxiliar de cozinha Daniele Aparecida dos Santos, 28, que é natural de Lages.

A chegada definitiva do frio animou os comerciantes em Florianópolis. “A temperatura é diretamente proporcional às vendas, e com esse frio os clientes compram mais”, afirmou a vendedora de uma boutique no Centro, Aline da Silva.

Os comerciantes podem comemorar, porque de acordo com o meteorologista da Epagri/Ciram, Clóvis Côrrea, as temperaturas continuam em queda. A neve pode ocorrer, mas é preciso analisar o cenário. “Pelas baixas temperatura temos chance, mas há outros fatores a serem levados em consideração, como a umidade. É algo que dá para prever com dois dias de antecedência”, disse. 

Praia no inverno e no verão

Nem as baixas temperaturas e o vento gelado e intenso nas praias do Sul da Ilha espantaram quem gosta de estar em contato direto com a natureza. As amigas Paloma Miyashiro, 24 anos, e Vanessa Bispo de Moraes, 28, se agasalharam e foram ver como estavam as ondas no Campeche. “Gosto de praia. Não dá pra dispensar, independente da estação. Mas está bem frio. Em São Paulo não é assim”, disse Vanessa, que mora em Florianópolis há quatro anos.

A argentina Belen Amaia, 30, está há um mês em Florianópolis e também não deixou de caminhar na areia da praia na tarde fria de ontem. “Gosto mais assim, menos gente, mais gostoso. Estou acostumada com o frio, na Argentina é bem mais frio do que aqui”, contou.

O frio pode ser sentido com maior intensidade em pontos específicos da Capital. “Itacorubi e Ratones são regiões mais frias, mas não há também uma oscilação muito grande entre os pontos. Mas são regiões que ficam em vales, próximas aos morros. Quando o frio chega ele é mais intenso nos morros, mas depois de se instalar é nessas regiões que o frio é sentido com mais força. Praias como Campeche e Moçambique, de mar aberto, também são mais frias”, explicou o meteorologista da Epagri/Ciram, Clóvis Côrrea.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade