Publicidade
Sábado, 17 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 21º C

Índice do Custo de Vida em Florianópolis tem maior alta desde 2010

Segundo a Udesc, novos aumentos nos produtos de alimentação podem ser esperados no próximo mês

Redação ND
Florianópolis
05/07/2018 às 12H22

O Índice de Custo de Vida (ICV) de Florianópolis, que já vinha de uma aceleração em maio, subiu 1,39% em junho, a maior alta desde dezembro de 2010 (quando o aumento foi de 1,84%). Os aumentos de preços ao consumidor foram puxados principalmente pela alimentação. Nos últimos seis meses, os alimentos in natura já acumulam alta de 17,9%.

Nos últimos seis meses, os alimentos in natura já acumulam alta de 17,9% de aumento - Arquivo/ND
Nos últimos seis meses, os alimentos in natura já acumulam alta de 17,9% de aumento - Arquivo/ND



De acordo com a Udesc (Universidade do Estado de Santa Catarina), que divulgou os dados nesta quinta-feira (5), nos primeiros seis meses de 2018, o índice acumulado do aumento do custo de vida em Florianópolis é de 3,47%. O acumulado dos últimos 12 meses soma 4,51%, índice que já ultrapassa o centro da meta de inflação nacional estabelecido pelo Banco Central, de 4,5%.

Segundo o coordenador do cálculo do ICV/Udesc Esag, Hercílio Fernandes Neto, os números mostram que novos aumentos nos produtos de alimentação podem ser esperados no próximo mês.

“Houve aumentos grandes em junho em produtos como leite (25,28%) e farinha de trigo (7,98%) que são usados em outros alimentos, como pão de trigo (alta de 3,82%), que parece ainda não ter incorporado esses cursos”, afirma Fernandes. Ele lembra que o trigo é muito sensível a variações do câmbio, e que houve alta do dólar em junho.

Combustíveis

Entre os produtos in natura, que em conjunto já subiram quase 18% nos primeiros seis meses de 2018, houve aumentos fortes em produtos como batata inglesa (41,35%), chuchu (26,11%), abóbora (17,27%) e vagem (10, 59%).

Junho também teve aceleração nos preços dos serviços públicos e de utilidade pública (1,82%) e uma variação menor (0,17%) nos serviços privados. Apenas no grupo dos produtos não alimentares houve redução (-0,14%), incluindo os combustíveis, que depois da alta provocada pela crise de desabastecimento, em maio, tiverem em junho uma queda de quase 2%.

O Índice de Custo de Vida de Florianópolis é calculado desde julho de 1968, pela Udesc Esag. A relevância de cada produto para o cálculo do índice foi definida por meio de uma pesquisa de orçamento familiar, também realizada pela Udesc Esag. Os dados para o mês foram coletados entre os dias 1º e 30 de junho de 2018.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade