Publicidade
Terça-Feira, 11 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 30º C
  • 20º C

Indicado pelo irmão, Djalma Berger toma posse na presidência da Eletrosul

Nova diretoria conta ainda com Antonio Waldir Vittori, Claudio Vignatti, Ronaldo dos Santos Custódio e o ex-governador Paulo Afonso Vieira

Stefani Ceolla
Florianópolis

A aliança política entre PT e PMDB marcou o tom dos discursos nesta terça-feira (28) durante a cerimônia de posse da nova diretoria da Eletrosul. A escolha de Djalma Berger para presidir a estatal teve influência direta do irmão, o senador peemedebista Dário Berger. "O Djalma representa um grupo de parlamentares expressivo no Congresso Nacional. Seria um desprestígio se nós não indicássemos o nome para presidir a Eletrosul", afirmou Dário, que articulou a indicação com o vice-presidente Michel Temer (PMDB).

Hermínio Nunes/Eletrosul/ND
Da esq. para dir.: Antonio Waldir Vittori, novo diretor de Operação, Claudio Vignatti, novo diretor financeiro, Djalma Berger, novo diretor-presidente, Ronaldo dos Santos Custódio, novo diretor de engenharia, e Paulo Afonso Vieira, novo diretor administrativo


Djalma substitui Márcio Zimmermann (PMDB), conhecido pelo perfil técnico, que havia sido empossado no cargo recentemente, em abril deste ano. Em seu discurso na solenidade de posse, Djalma contou que iniciou sua carreira como engenheiro na Eletrosul em 1989. “Nunca imaginei que um dia seria presidente dessa empresa”, admitiu.

Experiência política e na iniciativa privada

Djalma Berger falou de sua trajetória política e definiu o novo cargo como a “missão mais desafiadora de sua vida profissional”. “Para enfrentarmos tão grande desafio contamos com união, transparência e ousadia”, pediu aos colaboradores e parceiros que acompanharam a cerimônia.

Prestigiada por empresários do setor, a solenidade não contou com a presença do governador Raimundo Colombo (PSD) nem do vice, Eduardo Pinho Moreira (PMDB), presidente licenciado do partido de Dário e Djalma.

Já o petista Claudio Vignatti, novo diretor financeiro, saudou o “empenho da bancada catarinense nas tratativas” que resultaram nas nomeações. Prometeu um “diálogo muito forte” com os funcionários e aproximação com os parceiros.

“Eu sempre trabalhei em equipe. Vai ser assim”, afirmou. Uma das primeiras ações da nova diretoria é visitar os governadores dos estados de abrangência da Eletrosul.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade