Publicidade
Sexta-Feira, 21 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 17º C

Imprensa e Grupo RIC repudiam agressões de vereador a jornalista do Notícias do Dia

Deglaber Goulart ofendeu a repórter com expressões preconceituosas e agressivas

Redação ND
Florianópolis

O Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina e a Associação Catarinense de Imprensa repudiaram, nessa sexta-feira, o discurso do vereador Deglaber Goulart (PMDB) contra a jornalista Roberta Kremer, do Notícias do Dia. O vereador ocupou a tribuna da Câmara durante nove minutos, na última segunda-feira, para criticar a reportagem publicada quatro dias antes, que apontava os pontos controversos de seus projetos ligados aos homossexuais. Deglaber ofendeu a jornalista com expressões preconceituosas e agressivas.

 

Reprodução YouTube
Vereador Deglaber atacou reportagem do ND sobre projeto de "cura gay"

 

O fato ganhou proporções maiores na quinta-feira, quando Deglaber publicou o vídeo em sua página na Internet. O vereador acusou a jornalista de não dar a ele direito de resposta e colocou em dúvida a capacidade da profissional. “Eu acho que nem é repórter”, disse, emendando que Roberta “não poderia fazer parte do quadro de funcionários da RIC Record”. Não demorou para que os próprios jornalistas se manifestassem contra as declarações do parlamentar, por meio das redes sociais.

O Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina lamentou as declarações do parlamentar. Segundo a entidade, o pronunciamento foi uma “atitude incompatível com a função pública que exerce, demonstrando total incompetência para o trato com a imprensa”, manifestou na nota, que reforçou o apoio jurídico à profissional, se necessário.

A Associação Catarinense de Imprensa lembrou que o parlamento é um dos pilares do Estado Democrático e sua tribuna, espaço de manifestações daqueles que tem como obrigação representar a população com seriedade e responsabilidade. “O uso do espaço do parlamento para quaisquer gestos que visem a denegrir, intimidar ou cercear o trabalho da imprensa, outro dos pilares que sustentam a democracia, é uma afronta inaceitável a essa função básica da Câmara”, declarou a associação.

Na Assembléia Legislativa, a deputada Angela Albino (PCdoB) se manifestou e pretende apresentar uma moção de repúdio ao vereador.

Repórter recebe amparo de colegas e gestores

Jornalista há sete anos, Roberta Kremer assistiu ao vídeo pela primeira vez na redação do jornal, na tarde de quinta-feira. Cercada por colegas de trabalho, Roberta não escondeu a indignação diante das declarações do vereador de que ela precisava de um tanque cheio de roupas para lavar. “Eu, uma mulher comum, que tem de trabalhar todos os dias, chego em casa e tenho que lavar minhas roupas e ensinar meu noivo a fazer o mesmo. Isso para que no futuro ele não seja um pai machista”, disse.

A direção do Grupo RIC, por meio do jornalista Luís Meneghim, diretor de Redação do Notícias do Dia, manifestou-se sobre episódio. Para ele, a atitude do vereador Deglaber foi “lamentável e não compatível com o papel de legislador”, lembrando que a tribuna da Câmara deve ser usada para temas mais relevantes. “Respeitamos a opinião do vereador, mas repudiamos a postura agressiva em relação a uma profissional do jornalismo”, completou.

Segundo Meneghim, o Grupo RIC está sempre aberto ao contraponto, mas neste episódio não recebeu do vereador Deblager qualquer manifestação, por telefone, e-mail ou por meio de seus assessores, exigindo direito de resposta que ele alega ter sido negado. O vereador foi ouvido na própria reportagem, publicada em 3 de outubro, pela profissional que ele criticou. “Se posteriormente gostaria de falar mais, deveria ter procurado o jornal, o que não ocorreu”, assegurou.

Sobre a atuação da repórter Roberta Kremer, o diretor disse que a profissional goza de maior respeito dentro do quadro funcional da empresa e que continuará fazendo o seu trabalho conforme as práticas do bom jornalismo. Por fim, Meneghim lembrou que o papel da imprensa é o de fiscalizar a atuação do Legislativo, com a liberdade assegurada pela Constituição.

Pronunciamento quebra decoro parlamentar

Na próxima terça a deputada estadual Angela Albino (PCdoB) apresentará moção de repúdio na Assembleia Legislativa de Santa Catarina. Segundo a deputada, além de atingir a liberdade de imprensa, o vereador se mostrou preconceituoso. “O parlamentar emitiu juízo de valor com ingredientes que agridem todas as mulheres, isso não pode ser admitido nos dias atuais”, disse. “Pessoalmente conheço a Roberta e ela é uma profissional muito correta”, comentou.

Ao fazer menção velada à condição de mulher da jornalista, Deglaber Goulart teria quebrado o decoro parlamentar, que no regimento interno da Câmara de Vereadores de Florianópolis veta a discriminação de gênero.

A reportagem procurou o presidente da Câmara Municipal, vereador César Faria (PSD), e o presidente da Comissão de Ética, Dalmo Meneses (PP), mas nenhum dos dois foram encontrados para comentar o assunto.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade