Publicidade
Quinta-Feira, 20 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 23º C
  • 18º C

Imagem de santo volta à igreja de Biguaçu após desaparecer por mais de 30 anos

Iphan planeja a instalação de um sistema de segurança para que a escultura fique segura

Alessandra Oliveira
Florianópolis
Daniel Queiroz/ND
São Miguel Arcanjo
Em 1979 a imagem do santo desapareceu; foi recuperada em 2011

 

 

Os sinos da igreja Matriz de Biguaçu anunciaram o início da missa. No entanto, não se tratava de um encontro como os demais domingos. Os badalos eram o aviso da entrada da imagem de São Miguel Arcanjo no templo. Após 33 anos fora da cidade - desapareceu em 1979 -, o santo retornou para a casa dos fiéis. A imagem foi recuperada em dezembro de 2011, no Rio de Janeiro e ficou na sede da Polícia Federal até ser entregue ao padre José Luiz. 

Se tivesse força física, a aposentada Maria das Neves da Cunha, 92, certamente ajudaria a carregar o andor do santo. Enquanto a imagem passava pelo corredor central da igreja Matriz, Maria chorava e sorria num misto de alívio e gratidão por poder acolher o santo na comunidade religiosa. “Tinha quase 40 anos que eu não via São Miguel”, disse, com sorriso largo e olhos lagrimejados. 

A emoção do fiel devoto Jorge Adelino Lopes, 69, era tanta que ele teve dificuldade para falar sobre o que sentia naquele momento. Entre uma lágrima e outra, Lopes agradecia pela oportunidade de rever o santo em que deposita grande fé. “Fui batizado e fiz a primeira comunhão na igreja de São Miguel. Pensei que nunca mais veria o santo”, afirmou. 

Lopes nasceu e até hoje vive na comunidade que abrigou os colonizadores açorianos. O aposentado lembra-se da ocasião em que a imagem foi roubada e ainda estranha o fato de que nenhuma porta ou janela tenham sido arrombada. “Como ele saiu. Por onde?”, questionou, ao reconhecer que não tinha mais esperança de rezar para o santo de sua comunidade.

Iphan planeja sistema de segurança 

Telefones celulares e câmeras fotográficas se misturavam com as velas na entrada do santo. Aplausos seguiram a passagem rumo ao altar, onde São Miguel permaneceu durante a missa celebrada pelo pároco de Biguaçu, José Luiz de Sousa. A fiel Enedina Quirino Goulart, 88, assistiu à celebração. “Sinto um alívio muito grande. É difícil explicar. Sou devota do santo e não conhecia esta imagem”, detalhou a aposentada, que se mudou para a cidade três anos após o desaparecimento do santo, em 1979. 

O santo ficará na Matriz de Biguaçu, no Centro, até que possa ser levado para a igreja construída em 1747, igreja do bairro São Miguel, de onde é padroeiro. O prefeito José Castelo Deschamps lembrou que o Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) planeja a instalação de um sistema de segurança para que a imagem seja abrigada na localidade de origem.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade