Publicidade
Segunda-Feira, 19 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 24º C
  • 18º C

Igrejas históricas da Grande Florianópolis serão reabertas depois de quatro anos em obras

Os moradores das comunidades do Ribeirão da Ilha e de São José aguardam ansiosos para ver o trabalho de restauração nos templos

Letícia Mathias
Florianópolis
Flavio Tin/ND
Igreja Nossa Senhora da Lapa, no Ribeirão da Ilha, está quase pronta para a reabertura


A próxima semana será de festa para as comunidades do Ribeirão da Ilha, em Florianópolis, e do Centro Histórico de São José. No dia 30, a igreja Matriz de São José e a igreja Nossa Senhora da Lapa serão reabertas ao público, depois de mais de quatro anos em obras. A celebração das primeiras missas será feita pelo arcebispo da Arquidiocese de Florianópolis, dom Wilson Tadeu Jönck. A equipe de restauradores, operários, arquitetos e engenheiros trabalham nos últimos detalhes das artes e de restauração, instalação de som, iluminação e alarmes.

Um caderno com recomendações sobre a manutenção correta da estrutura e das obras das igrejas será entregue às paróquias. São duas igrejas históricas da Grande Florianópolis que resgatam não só a cultura da época como a própria tradição do povo local, que poderá lembrar as experiências antigas que tiveram por meio das restaurações e descobertas feitas em cada uma.

Moradores que acompanham a tradição católica e história local estão ansiosos. A missa no Ribeirão será às 18h, e para chegar a tempo o padre Mauricio da Costa e os próprios vizinhos contam que alguns já pediram dispensa do serviço para acompanhar a primeira celebração com a igreja restaurada. Só se fala disso na comunidade. “A reabertura é importante do ponto de vista religioso porque teremos o espaço da igreja de volta, Nesses últimos anos celebramos as missas no salão paroquial e voltar a celebrar na igreja tem outro simbolismo”, disse.

A arquiteta gestora da obra da igreja Nossa Senhora da Lapa, Mariana Nunes, diz que durante as obras foram descobertas pinturas e frases em latim na recuperação do forro, no altar-mor e sob o coro. A igreja foi interditada em 2008 e fechada para reforma em 2010. Segundo Mariana, se as recomendações de manutenção forem seguidas, a igreja não precisará de outra restauração.

Expectativa pela reabertura

Osvaldo Laurindo, 59 anos, está curioso, mas não ousou entrar na igreja Nossa Senhora da Lapa antes da conclusão da restauração. Ontem, espiou pela fechadura, mas prefere esperar a surpresa do dia da reabertura. “Prefiro ver só depois para poder comparar como era antes, lembrar do que eu vi pela última vez, e como ficou. Se tiver alguma pintura errada vou lembrar e dizer que não estava ali”, afirmou.

Além da representatividade religiosa da igreja que ele considera “muito sagrada”, Laurindo lembra a importância cultural que a obra tem. “Vem muitos turistas aqui só para ver a igreja. Aqui ainda mantemos essa tradição. Antes não davam muito valor e passavam qualquer tinta por cima. Agora teremos a igreja recuperada”, disse.

Restauradores encontram vestígios anteriores a 1910

Na igreja Matriz, em São José, o trabalho também tem sido intenso. Trinta e cinco pessoas trabalham no local para deixar tudo ajustado até a reabertura. Lá, a descoberta das pinturas de 1941 bem conservadas foram as melhores surpresas para a equipe.

O altar santíssimo na lateral da igreja foi o primeiro a ficar pronto. “Não se esperava essas imagens no altar, até pelas fotos antigas não conseguimos identificar, só vimos durante o trabalho de restauração”, contou a engenheira Ivana Moser.

No altar-mor um pequeno detalhe traz características anteriores à década de 1910, único vestígio desse período encontrado pelos restauradores e historiadores no local. Todo o assoalho e o forro também foram recuperados, assim como a parte elétrica e hidráulica. A última fase compreendia a restauração interna e das imagens.

Antes de um processo de restauração sempre é feita uma pesquisa histórica. Ivana conta que o registro fotográfico da vizinhança ajudou muito nos trabalhos. Em um dos salões, o Boaventura, da década de 1930, até uma escada que dá acesso ao local foi encontrada sob uma rampa. O salão chegou a funcionar como mercado e provavelmente a rampa que já foi retirada servia para carga e descarga de mercadorias.

O pesquisador Osni Machado, conhecido como guardião das memórias da cidade, acompanha a obra desde o início. Vai quase todos os dias à igreja e conta que a comunidade está “agoniada” esperando pela reabertura. “É a casa da gente, ficará linda. Qualquer detalhe, todo mundo repara. Eles (vizinhos) vivem comentando que ‘ali era assim, que ali não tinha aquilo’. O povo tem um olhar crítico”, afirmou. 


IGREJAS

- Igreja de Nossa Senhora da Lapa

Data da construção: 1806
Início da restauração: Dezembro de 2009
Reabertura: 30 de maio, às 18h
Endereço: Rua Alberto Cavalheiro, 238, Ribeirão da Ilha, Florianópolis, tel. 3337-5569.

- Igreja Matriz de São José

Data da construção: 1765
Início da restauração: Dezembro de 2009
Reabertura: 30 de maio, às 9h
Endereço: Praça Hercílio Luz, Centro Histórico, São José, tel. 3247-1596.

 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade