Publicidade
Domingo, 27 de Maio de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 16º C

Ideli confirma fábrica da BMW em Santa Catarina

Segundo ela, a presidente Dilma Rousseff deve vir ao Estado para formalizar o anúncio

Adriana Baldissarelli
Florianópolis

 Elton Damasio/ND
Ministra das relações institucionais Ideli Salvatti
Ideli ainda confirmou que o Estado deve ganhar uma nova ferrovia


A ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, adiantou ao Notícias do Dia que o pacote de concessões e parcerias público-privadas que serão anunciadas nesta quarta-feira em Brasília deve conter, pelo menos, um projeto de ferrovia em Santa Catarina. São recursos a mais, além dos investimentos diretos do governo federal e dos financiamentos aos estados, na terceira modalidade de enfrentamento à crise internacional. Também deu a entender que, na conversa que manteve semana passada com o governador Raimundo Colombo, ficou previamente agendada a vinda da presidente Dilma Rousseff ao Estado, na próxima quarta-feira (22) para formalizar a instalação da fábrica da BMW em Araquari.

Com relação aos pacotes de estímulo econômico que serão lançados até o final do mês, o que é providencial para Santa Catarina?

Primeiro, é preciso falar da estratégia da presidenta Dilma. Ela está focada no enfrentamento da crise, na linha do investimento. O centro do enfrentamento da crise de 2008/2009 foi a política do mercado interno, da renda, ou seja, nós a enfrentamos incluindo o povo brasileiro para aumentar o mercado interno. Isso permanece, continua sendo forte na linha de crédito, de programas sociais e tal mas, para a gravidade e duração da crise que temos hoje, é necessário, mas não suficiente. Por isso a presidenta está muito focada na ampliação do investimento. Ela está atuando em três frentes. Uma é o investimento direto do governo federal, por isso reforçou o Minha Casa Minha Vida, inicialmente de 2 milhões de unidades para 2,4 milhões. O programa tem uma capilaridade imensa, mexe com a construção civil em todo o Brasil, emprega gente na indústria dos insumos que são todos nacionais. Não se importa nada para fazer construção de moradia. Também nos investimentos em termos de obras de infraestrutura. Por isso que na semana retrasada, eu fui a Santa Catarina e reafirmamos tudo que está para ser desencadeado daqui até o final do ano em termos de obras contratadas, editais de licitação que serão abertos, num montante de aproximadamente R$ 5 bilhões. Só no Ministério dos Transportes para Santa Catarina são R$ 5 bilhões nessa lógica do investimento direto do governo federal. 

Dobrando os R$ 5 bilhões que serão emprestados ao Estado?
 

Isso, porque esse é o segundo eixo que a presidenta está trabalhando, em parceria com os governadores. Ela está abrindo espaço fiscal, linhas de financiamento, assim, não de mãe, mas de vó, tão bons que estão, com carência, juros baixíssimos, prazos longuíssimos. O governador de Santa Catarina acabou de aprovar na Assembleia Legislativa mais R$ 5,1 bilhões. A terceira linha de parceria para ampliar os investimentos vai ser esta semana, com a iniciativa privada. São as PPPs, concessões do governo federal à iniciativa privada, para fazer outra frente de investimentos. Eu não tenho o detalhamento, mas é importante dizer que nada do que vai entrar amanhã (nesta quarta-feira) nas concessões e PPPs é para substituir o que o governo federal já decidiu fazer e que já está em andamento. Nem é para fazer o que os governadores tiveram de financiamento e abertura fiscal para fazer. É coisa a mais. 

Por exemplo, para a 280, o governador tem cogitado que, se demorar, pretende usar o dinheiro do Bndes...
 
Nananã não, ele pode ficar sossegado, ele que aplique em outro lugar que a 280 (projeto de duplicação entre Jaraguá do Sul e São Francisco do Sul) vai sair. Eu acabei de falar agora com o ministro Paulo Sérgio. A 470 (duplicação entre Navegantes e BR-101, entre 101 e Ilhota e entre Gaspar e Indaial) está dividida em três lotes e a 280 em quatro lotes. O primeiro lote de obras nas duas rodovias terá edital aberto no mesmo dia em setembro, nem que tenha de virar a noite e mais um pouco. Vai sair. Falei com Paulo Sérgio e com João Jorge (Dnit), estamos monitorando com pente-fino aqui. Modelito Dilma de cobrar, conhece o modelito Dilma de cobrar? 

Como é o modelito Dilma de cobrar? 

Reguinha nos dedos. Então, não tenho todos os detalhes do que vai ser anunciado amanhã (hoje), mas os passarinhos me contaram que pelo menos ferrovia Santa Catarina terá. 

Qual delas? 

Não são as que estão no PAC, nem a Litorânea, nem a Leste-Oeste, porque essas já estão em andamento pelo governo federal. 

Portos entram quando nesse cronograma de anúncios? 

Amanhã (nesta quarta-feira) são rodovias e ferrovias, depois portos e aeroportos, não sei se na semana seguinte. A presidenta estava com meta de lançar tudo em agosto. Quanto aos aeroportos, há uma tendência de haver uma delegação para o governo do Estado para que terceirize Jaguaruna e Correia Pinto.
 
Deve ser efetivado logo? 

Vai ter de ver qual o modelo será anunciado, para ver se consegue enquadrar. Foi essa conversa que fiz semana passada com o governador. Eu visitei o aeroporto em Jaguaruna, as obras estão praticamente prontas, falta só lustrar. Ali foi obra feita em conjunto, tem recurso federal, estadual e inclusive o acesso da BR-101 foi emenda minha como senadora. 

Essas medidas lhe dão confiança de que a economia catarinense - e brasileira também - consiga se segurar até o final dessa crise?

Nós estamos fazendo tudo que está ao alcance para fazer o enfrentamento e superar. É claro que a crise tem apresentado novidades e não são boas. Sucessivas novidades ruins. Então, digamos, para o cenário que temos hoje, eu acredito que estamos calçados. Agora tem de continuar vigiando permanentemente. Eu tiro isso por Santa Catarina, por que, qual outro período da história de Santa Catarina em que houve, só do Ministério dos Transportes R$ 5 bilhões, mais R$ 5 bilhões e um pouquinho do governo do Estado e com possibilidade de ter ainda investimento em concessão? É bom lembrar que o orçamento do Estado de Santa Catarina é de R$ 15 bilhões. Dois terços do orçamento estadual, portanto, estão sendo aportados... 

Dois terços em investimento, não é custeio de máquina, nem pagamento de pessoal. E o regime automotivo será sancionado? 

A presidenta vai sancionar agora nos próximos dias, uma vez que saiu do Senado semana passada. 

É o que a BMW desejava? 

O governador, naquele dia, havia pedido reserva, mas está tudo sinalizado para dia 21. 

Em Brasília, com a presidenta? 

Sim. 

E em Santa Catarina?

Ele disse que vai ser dia 21 em Brasília e dia 22 em Santa Catarina.
 
Em Joinville? E a senhora vai trazer a presidenta então? 

Não sei, né? A viagem... (risos)

Santa Catarina vai ter de arcar com um custo, além do regime automotivo, para atrair a BMW? Lhe preocupa isso, que seja sustentável? 

Aí o governo do Estado tem mais condições de fazer essa avaliação.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade