Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Homem que atropelou procurador e engenheiro em São José responderá por homicídio doloso

Segundo o delegado responsável pelo caso, o homem de 35 anos ainda não foi interrogado e não poderá pagar fiança

Redação ND
Florianópolis
01/09/2017 às 18H11

O motorista de 35 anos que tirou a vida do procurador de Justiça, Aor Steffens Miranda, 50, e do engenheiro João Carlos Schultz, 36, na madrugada desta sexta-feira (1), na Beira-Mar de São José, deve responder por duplo homicídio doloso e embriaguez ao volante. É o que garante o delegado Alexandre Carvalho de Oliveira, da Central de Polícia de São José, responsável pelo caso. Às 12h30 de sexta, a polícia ainda aguardava que Felipe Silva Pereira fosse liberado do Hospital Regional, onde ele passou por um exame de tomografia, para que pudesse realizar o interrogatório.

A expectativa, segundo o delegado, é que o depoimento ocorra ainda durante a tarde. De acordo com Oliveira, o responsável por tirar a vida do procurador de Justiça e do engenheiro não terá o direito de pagar fiança.

Aor Steffens Miranda e João Carlos Schultz morreram na madrugada desta sexta-feira - Divulgação/Redes Sociais/Arquivo/ND
Aor Steffens Miranda e João Carlos Schultz morreram na madrugada desta sexta-feira - Divulgação/Redes Sociais/Arquivo/ND


“A constatação dos policiais foi de que ele exalava cheiro de álcool e estava com as habilidades psicomotoras abaladas”, afirma o delegado. Oliveira solicitou a perícia do veículo, uma Mercedes Benz C 180, para estipular a velocidade que o motorista trafegava no momento dos atropelamentos. No entanto, conforme imagens gravadas por uma câmera de segurança, ele adiantou que o homem estava em alta velocidade.

De acordo com o Copom (Centro de Operações da Polícia Militar), a ocorrência foi registrada por volta das 2h20 e o motorista permaneceu no local após o acidente. O irmão do motorista, Ricardo Pereira, também estava no carro e ficou ferido. Ele também foi levado para o Hospital Regional de São José. 

O MPSC (Ministério Público de Santa Catarina) decretou luto oficial de três dias em respeito à morte do procurador, e o Crea-SC (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Santa Catarina) informou que o engenheiro civil deixou uma filha de dois anos.

>> Procurador de Justiça e amigo morrem atropelados na Beira-Mar de São José

Publicidade

7 Comentários

Publicidade
Publicidade