Publicidade
Segunda-Feira, 24 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 19º C

Homem acusado de estuprar, matar e esconder corpo de jovem irá a júri popular, em SC

Após avistar a mulher em um ponto de ônibus, ele teria colocado a vítima à força no carro, amarrado seus pés e a golpeado com extintor de incêndio

Redação ND
Florianópolis
06/07/2017 às 20H44

Um homem acusado de estuprar, matar e esconder o corpo de uma jovem, após avistá-la em um ponto de ônibus, será submetido a júri popular. O caso ocorreu em Santa Catarina e tramita em segredo de justiça. A decisão, da comarca do Vale do Itajaí, foi confirmada pela 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça.

Na ocasião, segundo denúncia do Ministério Público, o homem passou com o carro pela rua e, ao perceber a vítima no ponto de ônibus, mandou-a entrar no veículo. Após ela se recusar, ele a colocou à força no carro e amarrou seus pés e mãos com cadarços. Depois de estuprá-la, a golpeou com um extintor de incêndio e abandonou o corpo em um matagal.

Antes de se livrar do corpo, o acusado ainda teria roubado o casaco e a carteira da mulher. Imagens de uma câmara de segurança registraram a cena inicial junto ao ponto de ônibus e testemunhas confirmaram ter visto a jovem ser forçada a entrar no carro.

O desembargador Paulo Roberto Sartorato, relator do recurso, ressaltou que todas as evidências levam ao homem como o agressor, independente de ele negar os fatos. No dia seguinte ao ocorrido, afirma o Ministério Público, foi ele quem entregou o celular da vítima para uma de suas colegas. Suas características físicas também são compatíveis com as visualizadas nas câmeras de segurança, e o veículo utilizado para no crime foi identificado como dele.

O desembargador frisou que, apesar de o exame de DNA ter sido inconclusivo a ponto de não se poder afirmar que o material genético encontrado no corpo da vítima era do réu, também não é possível descartar por completo tal hipótese. Desta forma, os indícios suficientes de autoria são o “bastante para levar o réu a júri”.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade