Publicidade
Segunda-Feira, 22 de Outubro de 2018
Descrição do tempo
  • 24º C
  • 17º C

Helicóptero que presta serviço ao Beto Carrero cai em Joinville após ser sequestrado

Aeronave caiu em área residencial; Polícia Militar retirou uma pessoa com vida das ferragens

Redação ND
Florianópolis
08/03/2018 às 21H44

Um helicóptero caiu no bairro Paranaguamirim, em área residencial na zona sul de Joinville, na tarde desta quinta-feira (8). Três pessoas morreram e uma foi retirada com vida por policiais do Águia da Polícia Militar do município. O sobrevivente, identificado como Daniel da Silva, tem 18 anos e está em liberdade provisória - ele deixou recentemente o Presídio de Joinville. Ele foi internado em estado grave no Hospital Municipal São José, e, segundo a assessoria da unidade, teve queimaduras de segundo e terceiro grau. Daniel teve pelo menos 15% do corpo queimado.

Helicóptero que presta serviço ao Beto Carrero cai em Joinville - Divulgação/Águia/Polícia Militar
Helicóptero que presta serviço ao Beto Carrero cai em Joinville - Divulgação/Águia/Polícia Militar


A aeronave era da empresa Avalon Táxi Aéreo Ltda, que presta serviço de passeios e fretamento ao Beto Carrero, em Penha, e sofreu o acidente após ser sequestrada, segundo confirmou porta-voz do parque temático. A queda ocorreu por volta das 15h45, na servidão Adenilda Roeder. De acordo com o major Jair Pereira de Souza, da 2ª Companhia do Batalhão de Aviação da Polícia Militar, de Joinville, a possibilidade de sequestro foi reforçada quando o piloto não informou o plano de voo à torre antes de decolar. Uma das suspeitas, como foi apurado pela RICTV Record, é que a aeronave seria utilizada para o resgate de um preso. 

"A Polícia Militar estava [...] próxima ao local fazendo barreira policial quando essa aeronave desceu [...] e veio a cair", informou o tenente-coronel Luís André Pena Viana de Oliveira, comandante do 17º Batalhão de Polícia Militar.

No helicóptero estavam quatro pessoas e havia espaço para mais uma. O piloto era Antônio Mário Aguiar. Segundo a empresa proprietária da aeronave, ele tinha mais de 10 anos de experiência na função. Durante o voo, ele conseguiu fazer contato com Curitiba para informar que se tratava de um sequestro. Não há confirmação se o copiloto estava presente. As demais identidades ainda não foram divulgadas. 

Segundo o major Pereira, foram encontradas duas armas em meio aos destroços. Uma delas é uma pistola com numeração e a outra é um revólver, cuja numeração não é visível.

A delegada Tânia Harada, da Delegacia Regional de Polícia de Joinville, informou que o sobrevivende deverá ser autuado em flagrante. "Ao que tudo indica ele seria um dos autores do sequestro", disse.

A perícia da cena do acidente deve começar ainda hoje. Conforme o major Pereira, os peritos foram enviados de Canoas e ainda não haviam chego ao local às 19h. A Polícia Civil e o IGP (Instituto Geral de Perícias), juntamente com a Força Aérea Brasileira, deram início à investigação do caso. Por se tratar de um acidente aéreo, o Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) também foi envolvido. Na noite desta quinta, a assessoria da Polícia Civil informou que o caso passou a ser investigado pela Polícia Federal.

A aeronave da empresa Avalon Táxi Aéreo Ltda, que presta serviço de passeios e fretamento ao Beto Carrero - Divulgação/Águia/Polícia Militar
A aeronave da empresa Avalon Táxi Aéreo Ltda, que presta serviço de passeios e fretamento ao Beto Carrero - Divulgação/Águia/Polícia Militar


Confira a nota de esclarecimento da assessoria de imprensa do Beto Carrero:

"Lamentamos a queda de uma aeronave pertencente a empresa Avalon Taxi Aéreo, que terceiriza o serviço de voos panorâmicos no Beto Carrero World. Segundo informações da Avalon Táxi Aéreo, a aeronave não estava operando nas rotas do serviço oferecido na área do Parque".

Confira a entrevista para a RICTV Record: 

Em breve mais informações. 

Publicidade

8 Comentários

Publicidade
Publicidade