Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Grupo RIC divulga pesquisa eleitoral com intenções de voto para Presidente da República

Cenário em Santa Catarina apresenta diferenças do restante do país

Redação ND
FLORIANOPOLIS
06/09/2018 às 19H43

O Grupo RIC divulgou nesta quinta-feira (6) à noite a pesquisa eleitoral com intenções de votos em Santa Catarina para a Presidência da República. Encomendada pelo Grupo RIC/Fecomércio junto ao Instituto RealTime Big Data, o levantamento foi repercutido em parceria com os jornais da ADI-SC (Associação de Diários do Interior) e ADJORI-SC (Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina). Na terça-feira, os números para o Governo do Estado e para o Senado Federal foram divulgados.

O cenário de intenções de voto para presidente em Santa Catarina apresenta diferenças significativas do restante do país. Na pesquisa espontânea, Jair Bolsonaro (PSL) tem um resultado expressivo, liderando de forma isolada, com quase um quarto do eleitorado declarando voto no militar. Na sequência aparecem Geraldo Alckmin (PSDB), João Amoêdo (Novo) e Álvaro Dias (Pode). Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT), que nos cenários nacionais aparecem mais próximos de Bolsonaro, ocupam apenas a quinta e sexta posição em Santa Catarina.

“O percentual de votos espontâneos em Bolsonaro é bastante alto. Há um cenário diferente do resto do país, com clara tendência de votos mais à centro-direita. Isso mostra um perfil ideológico do eleitor mais conservador do que a média nacional, uma posição histórica do Estado”, afirma o cientista político Bruno Soller, sócio do Instituto Big Data.

Outro dado relevante, segundo ele, é o de eleitores indecisos. Apesar de o número para o cenário a presidente ser alto (46%), o percentual é bem mais baixo do que os indecisos para o governo de Santa Catarina (64%). “O eleitor está com a cabeça mais na disputa presidencial do que a estadual”, diz Soller.

Na pesquisa estimulada, quando são apresentados os candidatos, Bolsonaro cresce para 29%, seguido de Alckmin, com 9%, e Marina Silva sobe para 7%. De acordo com Bruno, esse percentual próximo de Bolsonaro nas pesquisas espontânea e estimulada costuma ser um presságio de que esses são votos consolidados, difíceis de serem mudados. Com a indefinição do candidato do PT ao Planalto, os votos da centro-esquerda no Estado acabam dissipados na corrida presidencial.

Outros números que chamam a atenção na pesquisa estimulada são as posições de João Amoêdo (Novo), em quarto lugar com 6%, e de Alvaro Dias (Pode), com 5%, que se diferenciam do restante do país. “Amoêdo tem crescido no centro-sul do país, como opção da centro-direita e um perfil liberal, o que prejudica a subida de Alckmin em alguns lugares”, afirma Bruno Soller.

Números da pesquisa eleitoral contratada pelo Grupo RIC - Infografia Rogério Moreira Júnior/ND
Números da pesquisa eleitoral contratada pelo Grupo RIC - Infografia Rogério Moreira Júnior/ND


Pesquisa Encomendada por: GRUPO RIC/FECOMÉRCIO/REALTIME BIG DATA em parceria com jornais da adi-SC e adjori-SC
Estatístico Responsável: Augusto da Silva Rocha. Período de Realização: 1, 2 e 3 de Setembro de 2018. Metodologia: Pesquisa Quantitativa. Número de Amostras: 1.110 entrevistas. Margem de Erro: 3,0%. Nível de Confiança: 95%. Registro: SC-04745/2018

Publicidade

2 Comentários

Publicidade
Publicidade