Publicidade
Quinta-Feira, 15 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 20º C

Governo usa exemplo similar a Temer para criticar servidores em Previdência

No vídeo, equipe de marketing descreve uma personagem fictícia chamada João, com perfil semelhante ao caso do presidente

Folha de São Paulo
Brasília (DF)
02/02/2018 às 17H50
Presidente da República, Michel Temer, durante cerimônia de Entrega de 900 UH do Condomínio Residencial Rubi III A V do Programa Minha Casa Minha Vida - Alan Santos /PR
Presidente da República, Michel Temer, durante cerimônia de Entrega de 900 UH do Condomínio Residencial Rubi III A V do Programa Minha Casa Minha Vida - Alan Santos /PR


GUSTAVO URIBE

BRASíLIA, DF (FOLHAPRESS) - O governo utilizou caso semelhante ao do presidente Michel Temer para criticar os privilégios aos servidores públicos em propaganda sobre a reforma previdenciária.

No vídeo, que será divulgado nas redes sociais, a equipe de marketing descreve uma personagem fictícia chamada João. Ela se formou em direito, trabalhou como funcionário público, se aposentou aos 50 anos e recebeu valor integral de R$ 35 mil.

O presidente também se formou em direito, atuou como procurador do Estado de São Paulo, aposentou-se aos 58 anos e recebe remuneração bruta de R$ 45 mil.

Como ganha também salário de R$ 30,9 mil como presidente, o vencimento mensal dele sofre abate-teto e deduções. Em outubro, por exemplo, o rendimento foi de R$ 22,1 mil.

"Todos pela reforma da Previdência. Todos pela igualdade", conclui a publicidade, que compara a situação de um funcionário público com a de alguém da iniciativa privada.

Em novembro e dezembro, o presidente ficou com a aposentadoria suspensa porque não fez a "prova de vida", comparecimento anual para provar que está vivo.

Além desse vídeo, o Palácio do Planalto divulgará publicidade que faz uma nova versão de propaganda do Posto Ipiranga.

Nela, uma mulher faz perguntas a um homem do campo, que, em vez de sempre direcioná-la ao Posto Ipiranga, manda ela para o Posto da Previdência.

Na tentativa de aprovar a reforma, o governo estima gastar cerca de R$ 50 milhões até o final deste mês em peças publicitárias.

Só no ano passado, foram repassados R$ 103,5 milhões para agências de publicidade.

Publicidade

2 Comentários

Publicidade
Publicidade