Publicidade
Domingo, 23 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Google vende ideia de intimidade com usuários e ignora privacidade

A empresa apresentou nesta terça-feira uma ferramenta que funciona como uma secretária-robô para os usuários, fazendo ligações e marcando compromissos

Folha de São Paulo
Mountain View (EUA)
09/05/2018 às 21H52

NATÁLIA PORTINARI*

MOUNTAIN VIEW, EUA (FOLHAPRESS) - Em sua conferência anual, a Google I/O, realizada na Califórnia, a companhia bate na tecla dos benefícios da inteligência artificial para os usuários e ignora as preocupações com privacidade que vêm gerando questionamentos de empresas de tecnologia. No Android P, sucessor do Oreo, tudo é "adaptativo". O consumo de bateria e o brilho da tela serão otimizados com base em como a pessoa usa o celular, como foi demonstrado pelo presidente do Google, Sundar Pichai, em apresentação nesta terça-feira (8).

Google I/O começo nesta terça-feira (8) - Reprodução/Divulgação/ND
Google I/O começo nesta terça-feira (8), na Califórnia - Reprodução/Divulgação/ND


Quer que seu celular avise caso você esteja passando tempo demais no YouTube? Há um recurso para isso, assim como um modo "wind down" (desacelere), para usar antes de dormir sem o risco de perder horas de sono acidentalmente. Com o modo "não perturbe", é possível silenciar notificações e chamadas de forma customizável. O celular não toca, mas uma função pode permitir que, se alguém ligar mais de uma vez, a chamada seja autorizada, reconhecendo uma emergência.

O evento é uma demonstração da força das experiências de aprendizado de máquina da empresa nos últimos anos, baseadas na coleta de um grande volume de dados. A tecnologia consiste em reconhecer padrões e saber responder a eles, e se estende também às fotos tiradas em smartphones.

O Google Lens, novidade do Oreo que permite usar fotos para reconhecer pessoas, lugares e objetos, virá em uma versão potencializada no Android P. Agora a câmera consegue digitalizar o texto de documentos instantaneamente. Usando o Lens para fotografar o panfleto de uma festa, por exemplo, o usuário terá informações sobre o endereço, como a distância estimada de onde está. A ideia é eliminar as barreiras entre o mundo visual e o texto escrito, e, consequentemente, potencializar o algoritmo de busca do Google.

A coleta de dados irrestrita que possibilita que a inteligência artificial funcione a todo vapor gera preocupações com privacidade que levaram à aprovação do Regulamento Geral de Proteção de Dados na Europa, que permite que usuários optem por não ceder seus dados pessoais à companhia. A regulação entra em vigor em 25 de maio deste ano, e, segundo uma pesquisa do Deutsche Bank, pode acarretar uma perda de até 2% da receita anual da empresa, que lucra com publicidade direcionada aos usuários.

Adotando uma postura amigável, a estratégia do Google é convencer os clientes de que a última coisa que eles querem é não participar do novo Android, que sabe tudo sobre você e até se preocupa com suas horas de sono.

Assistente para ligações

A demonstração mais impactante da apresentação do Google I/O foi o Google Duplex, que funciona como uma secretária-robô para os usuários. Com a tecnologia, o Assistente vai poder fazer ligações para marcar um corte de cabelo ou agendar uma reserva no restaurante. Na conversa, o robô imita uma conversa espontânea, dizendo “hmmm” ou “ahh, entendi”.

Segundo Lilian Rincón, diretora de produtos encarregada do Assistente, ainda não está decidido se ele vai avisar que é um robô ou se fingir de humano nessas interações. “Se você atende o telefone e alguém diz ‘aqui é um robô do Google’, você desligaria?”, questiona Rincón. “É algo que precisamos decidir ainda, mas sempre vamos dizer que é o assistente de alguém.”

A ideia é usar o telefone só quando não é possível fazer o contato pela internet. A chamada será iniciada de um telefone do Google, não do usuário do Assistente. “Se o restaurante tiver um serviço de reserva online, não vamos ligar.”

A princípio, todas as chamadas serão iniciadas pelos usuários, mas as informações obtidas com a ligação (que horas fecha o salão de beleza, por exemplo) podem ser usadas de forma pública, para atualizar os dados do estabelecimento no Maps.

“Queremos ter muita certeza de que estamos acertando o tom dessas conversas”, diz Rincón. “Com grandes poderes vêm grandes responsabilidades.” Veja abaixo a demonstração (em inglês).

Ainda não há uma data de lançamento para o novo recurso. O Assistente está disponível em português desde o ano passado, mas o Google Home, que possibilita a integração com a casa conectada via assistente de voz, não chegou ao Brasil.

*A jornalista viajou a convite do Google

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade