Publicidade
Quarta-Feira, 21 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 17º C

Florianópolis vai oferecer internet gratuita por meio da tecnologia wi-fi em 2019

Contrato de cinco anos prevê a instalação de 147 pontos de acesso em áreas públicas e unidades de saúde no prazo máximo de 12 meses. O Floripa Wi-Fi Livre atenderá 27.300 usuários simultâneos

Michael Gonçalves
Florianópolis
27/07/2018 às 21H52

Pelo ranking “Urban Systems Connected Smart Cities”, Florianópolis é a 6ª cidade mais inteligente do Brasil. Com o objetivo de oferecer o acesso gratuito à internet por meio da tecnologia wi-fi, a Secretaria de Turismo, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico da Capital lançou o chamamento público para escolher a empresa que possa fornecer o serviço no sistema de cooperação. O contrato de cinco anos prevê a instalação de, no mínimo, 147 pontos de acesso em áreas públicas e unidades de saúde no prazo máximo de 12 meses. De forma simultânea, o programa Floripa Wi-Fi Livre deve atender 27,3 mil usuários. As empresas interessadas têm até 28 de agosto para entregar as propostas, mas o contrato deve ser assinado em setembro de 2018. Será vencedora a empresa que disponibilizar o maior número de pontos de acesso no menor tempo de implantação.

Para não consumir o próprio pacote de dados, o estudante e ciclista Nicolas Ferraes, 25 anos, aproveita para utilizar as redes disponíveis na avenida Beira-Mar Norte. “Atualmente, a grande parte das pessoas utiliza o smartphone para se conectar ao mundo digital e quando a prefeitura oferece o serviço gratuitamente está promovendo uma inclusão digital. No meu caso, utilizo a internet para ouvir música, interagir nas redes sociais e para jogar”, diz.

O chamamento público não prevê o repasse de recursos do poder público para a empresa e vice-versa. Em contrapartida ao investimento, a empresa vencedora vai explorar serviços de comunicação digital na tela de login, exibindo peças publicitárias com duração máxima de sete segundos. Os 147 pontos estarão divididos em três tipos de localidade: de alto, médio e baixo tráfego.

Pelo contrato, cada usuário terá o direito de utilizar 2 Mbps de velocidade pelo tempo de conexão de 30 minutos, que pode ser renovada ilimitadamente. “Estamos implantando a nossa política de inovação para proporcionar a inclusão digital e deixar a cidade mais conectada e inteligente. O cidadão terá que preencher um cadastro e todo o processo deve seguir os conceitos do marco civil da internet”, explica o superintendente de Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcus Rocha. 

Edital utiliza como base as experiências de outras cidades

Marcus Rocha informou que o edital de chamamento utilizou como base a experiência exitosa da cidade de São Paulo (SP). Além de implantar o sistema em troca de marketing digital, a empresa também deverá fornecer uma plataforma de controle para o município de Florianópolis.

Tatiana tem um plano pós-pago, mas utiliza redes compartilhadas em locais onde tem internet gratuita - Daniel Queiroz/ND
Tatiana tem um plano pós-pago, mas utiliza redes compartilhadas em locais onde tem internet gratuita - Daniel Queiroz/ND


Os 147 pontos estarão espalhados pela Ilha e pelo Continente. “O edital foi desenvolvido a partir de estudos realizados em diversas cidades brasileiras e do exterior que implantaram serviços similares de forma bem-sucedida. Buscamos garantir um serviço que estivesse distribuído em toda a cidade, priorizando áreas que tenham permanência significativa de pessoas, com critérios de qualidade”, afirma Rocha.

A operadora de telemarketing Tatiana Martins, 22 anos, tem um plano de internet pós-pago para não ficar sem internet. Mesmo assim, por problemas da operadora ou em regiões sem sinal, ela fica refém das redes compartilhadas. “A internet já é um serviço essencial e que quase toda a população utiliza diariamente. A iniciativa é muito válida”, diz.

No Calçadão da Felipe Schmidt, o vendedor Evandro Nicolau da Silva, 26, utiliza o celular a cada momento sem cliente. “Hoje, ninguém consegue ficar sem internet, e um serviço público gratuito deve incentivar o uso de novas tecnologias”, destaca. 

Evandro usa o wi-fi gratuito da rua Felipe Schmidt - Daniel Queiroz/ND
Evandro usa o wi-fi gratuito da rua Felipe Schmidt - Daniel Queiroz/ND



Os 147 tipos de conexão

  • 10 localidades obrigatórias de alto tráfego, para suportar no mínimo 500 usuários simultâneos conectados
  • 43 localidades obrigatórias de médio tráfego, para suportar no mínimo 300 usuários simultâneos conectados
  • 94 localidades opcionais de baixo tráfego, para suportar no mínimo 100 usuários simultâneos conectados.

Fonte: Prefeitura de Florianópolis

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade