Publicidade
Terça-Feira, 25 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 18º C

Florianópolis mantém tradição dos presépios de Cascaes

Fábio Bispo
Florianópolis

Em 1973 Franklin Cascaes montava o primeiro presépio rústico em tamanho natural na Praça 15 de Novembro, no centro de Florianópolis, confeccionado com materiais naturais, como piteira e barba de velho. Cascaes seguiu montando seus presépios até 1983, quando morreu. De lá pra cá, a tradição foi mantida pelo museólogo Gelci José Coelho, o Peninha, e desde 1993, a responsabilidade do presépio da 15 passou para as mãos do artista Jone Cezar de Araújo. Ontem, os 40 anos da tradição foram marcados com a inauguração do presépio natalino de 2013.

Confeccionado com materiais naturais, assim com fazia Cascaes, o presépio remonta a lendária cena bíblica mesclado com elementos próprios da cultura ilhéu. Sob a sombra da majestosa figueira, num cenário rodeado por palmeiras imperiais, ficus indianos e cravos da Índia, os Reis Magos são cobertos com peças rendadas, ao lado de um José munido com petrechos de pesca. As atividades contaram com a presença da diretora da Federação Mundial de Presepistas (Un-Foe-Prae/Universalis Foederatio Praesepistica), Ida Dimmer.

A agenda cultural inclui ainda a primeira exposição do presépio de Jone premiado em 2005, em Roma, na Itália, na 30ª Mostra Mundial Dei 100 Presepi, onde concorreu com obras de 35 países. A instalação, que poderá ser visitada no Palácio Cruz e Sousa, integra o Circuito de Presépios Brasileiros que terá exposições em diversos pontos da cidade e em São José. As mostras são abertas à visitação pública conforme horário de atendimento em cada local.

Na quarta-feira, a cidade sediou o 1º Encontro Nacional de Presepistas, que reuniu artistas empenhados na confecção de presépios.

Artista descobre cultura popular

Natural do Morro da Fumaça, no Sul do Estado, Jone Cezar de Araújo reside desde 1968 em Florianópolis, onde descobriu a paixão pelas artes visuais e pela cultura popular, com ênfase para a confecção de presépios natalinos com diferentes técnicas e materiais. É membro do Núcleo de Estudos Açorianos da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) e da Casa dos Açores Ilha de Santa Catarina, além de integrar a Associação Internacional dos Artistas Plásticos também é presidente do Instituto Cultural e Presepista Ilha de Santa Catarina, que desde 2005 tornou-se o órgão oficial da arte presepista brasileira.

Em quatro décadas de atividade na Capital catarinense, Jone Cezar participou de diversas exposições individuais e coletivas, conquistando 125 premiações em variadas técnicas e categorias das artes visuais. Em 2005, o artista conquistou a medalha de ouro na 30ª Mostra Mundial Dei 100 Presepi, em Roma, e o prêmio do júri popular no 5º Concurso Nacional de Presépios de Greccio-Riete, também na Itália.

Atualmente Jone também trabalha em um livro sobre presépio, onde descrevo a história do presépio no mundo, no Brasil e, em especial, na Praça 15.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade