Publicidade
Sexta-Feira, 16 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 19º C

"Florianópolis é candidata à primeira Capital Mundial da Paz", diz presidente de Fórum

Ato cultural em frente à Catedral foi uma prévia do X Fórum Mundial da Paz, que abre oficialmente nesta quinta-feira (22) na Capital

Matheus Joffre
Florianópolis
21/09/2016 às 21H29

Florianópolis quer se tornar a primeira Capital Mundial da Paz. A revelação foi feita por Dulce Magalhães, presidente do 10º Fórum Mundial da Paz, que começa nesta quinta-feira (22) no Centro de Eventos de Canasvieiras. O Fórum, que vai até domingo (25), reúne representantes de 41 países de todos os continentes e é realizado anualmente desde 2007 pela Unipaz (Universidade Internacional da Paz).

Flash mob pela paz reuniu mais de 200 bailarinos em frente à Catedral Metropolitana - Flávio Tin/ND
Flash mob pela paz reuniu mais de 200 bailarinos em frente à Catedral Metropolitana - Flávio Tin/ND


E se depender da energia das cerca de 200 pessoas que participaram de um flash mob (mobilização instantânea) em frente à Catedral Metropolitana ontem, no Dia Internacional da Paz, Florianópolis tem tudo para levar esse título. Ao som de um mantra hindu e ritmo de samba, professores e alunos de dança, professores de educação física, estudantes da rede pública e privada e jovens ativistas da paz da Espanha, Itália e Egito apresentaram uma coreografia de quatro minutos e 15 segundos para chamar a atenção para a abertura do Fórum. “Foi a primeira atividade pública do Fórum. Queremos chamar a atenção das pessoas e que a cidade participe deste movimento, porque Florianópolis é candidata a ser a primeira Capital Mundial da Paz”, disse Dulce.

A coreografia foi uma criação coletiva de professores de dança da Capital e teve arranjo da banda do projeto Playing for Change, que reúne artistas do mundo inteiro em prol de mudanças globais. “A ideia do flash mob era justamente trazer o Fórum para as ruas. Quanto mais acessível, maior é o poder de alcance da mensagem de paz”, afirmou a coordenadora voluntária da ação, a bailarina e professora de dança Yasmin Meera.

Após a apresentação de dança, o grupo Din Rose e Banda executou a música tema do evento, que esta edição tem como slogan We believe (nós acreditamos). Um abraço coletivo na figueira da praça 15 encerrou o ato de paz, que emocionou a egípcia Pakinan Elgohary, 20 anos, vice-presidente do 2º Fórum Mundial da Paz da Juventude, que ocorre simultaneamente em Florianópolis. “A energia das pessoas aqui é algo incrível. A felicidade delas, seus sorrisos. Estou me sentindo em casa. A paz transcende culturas”, ressaltou.

Egípicia vice-presidente do Fórum Mundial da Paz da Juventude se emocionou com apresentação - Flávio Tin/ND
Egípicia vice-presidente do Fórum Mundial da Paz da Juventude se emocionou com apresentação - Flávio Tin/ND

Egípicia vice-presidente do Fórum Mundial da Paz da Juventude se emocionou com apresentação - Flávio Tin/ND
Egípicia vice-presidente do Fórum Mundial da Paz da Juventude se emocionou com apresentação - Flávio Tin/ND


Carrinhada de bebês e entrega de obelisco à cidade-sede

A abertura oficial do 10º Fórum Mundial da Paz está marcada para às 18h, em Canasvieiras. Antes, pela manhã, outras ações dão sequência à programação, que tem o apoio da Prefeitura de Florianópolis, como a carrinhada de bebês e a entrega do obelisco à cidade-sede do evento.

A carrinhada começa às 9h30, com concentração na rua Felipe Schmidt e termina no Largo da Alfândega, com uma mandala formada pelos carrinhos de bebê. Às 11h30, haverá a cerimônia de entrega de um obelisco, presente do governo de Nova York a todas as cidades-sede do Fórum, ao prefeito Cesar Souza Júnior, na Sala de Atos do Mercado Público. O objeto, de acrílico, traz a inscrição “Que a paz prevaleça na Terra” em oito idiomas, inclusive em português, e deverá ser instalado permanentemente no centro de convivência da antiga Casa de Câmara e Cadeia, em obras, que dará lugar ao Museu da Cidade.

 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade