Publicidade
Terça-Feira, 25 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 18º C

Faculdade Municipal de Palhoça promove Fórum de Integração dos Imigrantes

Iniciativa tem o intuito de debater as medidas necessárias para a garantia do acesso a direitos básicos

Rafael Thomé
Florianópolis

O ano de 2015 marcou a chegada maciça de imigrantes à Grande Florianópolis, principalmente vindos do Haiti. Os mais de oito mil haitianos que agora vivem na região foram, em sua maioria, bem acolhidos, mas ainda enfrentam dificuldades de acesso à saúde, educação e emprego. Pensando nisso, a FMP (Faculdade Municipal de Palhoça) promove, nesta segunda (7), às 19h, o Fórum de Integração dos Imigrantes, com o intuito de debater as medidas necessárias para a inserção dessas pessoas em todos os aspectos da vida social.

Flavio Tin/ND
Mais de 8.000 haitianos vivem em Santa Catarina 

 

Para embasar as discussões do fórum, a FMP apresentará um levantamento sobre o panorama atual. “Vamos passar o diagnóstico dos haitianos aqui. Depois, haverá uma mesa com palestrantes, entre eles os secretários municipais de Saúde e Educação, advogados, representantes da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) e da ACIP (Associação Empresarial), além de empresários da Grande Florianópolis”, explicou a coordenadora de imigrantes da FMP, Luciana Negreiros.

Entre os principais problemas encontrados durante o levantamento, está o atendimento médico aos estrangeiros. “Estamos verificando a questão da tradução, porque eles têm dificuldade de se comunicar nos postos de saúde e hospitais”, disse Luciana. Outro problema grave é que muitos dos haitianos chegam ao Brasil com formação em cursos superiores, mas não encontram trabalho nas áreas de atuação. “A maioria deles é formada em Engenharia Civil, Sistemas de Informação, Jornalismo e até Medicina, mas acaba se submetendo a empregos menos valorizados”, acrescentou.

Com a aprovação da Lei Federal 43.710, que concede visto de permanência e residência para haitianos, a FMP também aproveitará a oportunidade para orientá-los a respeito da retirada de documentos brasileiros, além de auxiliá-los na elaboração de currículo e tradução juramentada dos diplomas de formação.

Para acelerar as ações e diminuir a lotação da Pastoral do Imigrante em Florianópolis, a FMP propôs ao poder público a criação de um pólo de atendimento ao estrangeiro em Palhoça. "Estamos promovendo um trabalho efetivo de integração social e cultural, por meio da criação deste pólo de atendimento. Além de todo o auxílio jurídico, também ofertamos aulas de língua portuguesa gratuita aos estrangeiros", informou a diretora executiva da FMP, Mariah Terezinha do Nascimento Pereira. 

Serviço

O quê: Fórum de Integração dos Imigrantes

Quando: 07/12, às 19h

Quanto: Gratuito

Onde: Faculdade Municipal de Palhoça, R. João Pereira dos Santos - Pte. do Imaruim, Palhoça

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade