Publicidade
Terça-Feira, 20 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 16º C

FAB investiga circunstâncias da queda do avião que partiu de SC e caiu em São Paulo

O aeroporto Campo de Marte ficou fechado nesta segunda, enquanto peritos fotografaram cenas, retiraram partes da aeronave para análise, reuniram documentos e ouviram testemunhas

Redação ND, com informações da RICTV Record
Florianópolis
30/07/2018 às 17H58
Aeroporto ficou fechado nesta segunda para a realização dos trabalhos de perícia - Futura Press/Folhapress
Aeroporto ficou fechado nesta segunda para a realização dos trabalhos de perícia - Futura Press/Folhapress


A FAB (Força Aérea Brasileira) iniciou a investigação para saber as circunstâncias da queda da aeronave que partiu de Videira, no Oeste de Santa Catarina e caiu no aeroporto Campo de Marte, em São Paulo, no início da noite deste domingo (29). Os peritos já fotografaram cenas, retiraram partes da aeronave para análise, reuniram documentos e ouviram testemunhas. Representantes da empresa proprietária do avião irão para São Paulo nesta segunda-feira (30) para fazer a liberação do corpo do piloto, Antonio Traversi, e buscar informações sobre o estado de saúde dos seis sobreviventes.

“Meus tios estão bem. A tripulação, a princípio, está bem. Infelizmente, uma lástima mesmo, o piloto Antonio faleceu. O Bene vai ter que passar por cirurgia e o meu tio Nereu inalou fumaça tóxica e inspira cuidados”, contou o sobrinho dos sócios proprietários da empresa Videplast, de Videira. Além de Nereu Denardi e Geraldo Denardi, o filho de Nereu, Enzo Denardi e os funcionários Aguinaldo Nunes, Agnaldo Crippa e Bene Santos de Souza também sobreviveram a queda da aeronave.

Segundo o Hospital de Clínicas de São Paulo, onde o copiloto está internado, o quadro de Bene Santos de Souza é estável e ele está no quarto se recuperando. Os demais sobreviventes estão em outros hospitais e não tiveram o estado de saúde divulgado. O corpo do piloto Traversi, que morava em Caçador, deve chegar à Santa Catarina nesta terça-feira pela manhã. Ainda não foi confirmado o local onde ele será velado e sepultado.

Funcionários do aeroporto municipal Angelo Ponzoni, de onde partiu a aeronave informaram que o trajeto até São Paulo era realizado toda semana, pois os donos da empresa proprietária do bimotor tinham negócios na capital paulista. A Videplast comunicou que, ainda nesta segunda-feira (30), será emitida uma nota oficial atualizando o estado de saúde dos seis sobreviventes.

O acidente

Era começo da noite de domingo, quando o bimotor tentou pousar no aeroporto do Campo de Marte, em São Paulo, pela quarta vez. O piloto chegou bem perto da pista, mas de repente, o avião virou, caiu e pegou fogo. Carros dos Bombeiros já estavam posicionados na pista. O momento foi registrado em vídeo por moradores no entorno do aeroporto, que se desesperaram com a cena: “Meu Deus, meu Deus, caiu”!

Avião que saiu de Videira cai em SP  - Divulgação R7/ND
Avião que saiu de Videira cai em SP - Divulgação R7/ND


O fogo atingiu uma proporção tão grande, que parecia que nenhum dos tripulantes da aeronave sobreviveria. No entanto, os Bombeiros já estavam preparados e logo se aproximaram. Apenas 26 segundos após o impacto, eles já começaram a combater as chamas com espuma e água. O fogo foi controlado em menos de um minuto. Então, começou a operação de resgate.

O piloto e o copiloto ficaram presos nas ferragens. Os cinco passageiros foram retirados logo do local. Bene Santos de Souza, o copiloto da aeronave, foi levado de helicóptero para o Hospital das Clínicas. O piloto, Antonio Traversi, foi retirado do avião, mas teve uma parada cardíaca e não resistiu.

O porta-voz do Corpo de Bombeiros, capitão Marcos Palumbo, narrou o resgate em áudio para a imprensa:

“Seis vítimas, elas conseguiram ser retiradas da aeronave com vida. Uma delas, ela foi socorrida pelo helicóptero Águia ao Hospital das Clínicas. As outras cinco para outros hospitais, que não tinham gravidade em suas lesões. E, infelizmente, o óbito constatado do piloto, que conseguiu ser retirado, depois que quase uma hora de trabalhos intensos de retirada de presos nas ferragens da aeronave. Mas, infelizmente foi constatado o óbito no local.”

Em nota, o aeroclube de Videira, no Oeste de Santa Catarina, onde Traversi trabalhava, lamentou a morte do piloto. Ressaltou que ele foi instrutor no local e que era um piloto experiente e que ajudou a formar muitos profissionais. Ele também foi examinador dos novos alunos que estavam concluindo a carteira de Piloto Privado. Traversi é natural de Pelotas, no Rio Grande do Sul, e trabalhava para a empresa dona da aeronave há 18 anos.

Os vizinhos do aeroporto notaram que o avião tentava pousar, mas não conseguia. Daí, começaram a gravar o registro da terceira tentativa de pouso. No vídeo não é possível ver com clareza se o trem de pouso da aeronave estava abaixado. Testemunhas chegaram a especular que esse seria o problema do avião.

A aeronave é um bimotor King Air C90, tem capacidade para sete passageiros e é de propriedade da empresa Videplast. Foi fabricado em 2008 nos Estados Unidos da América e estava com certificado de uso em dia, com vencimento para 2023. O avião decolou às 15h30 do aeroclube de Videira com destino a São Paulo com cinco passageiros e dois tripulantes embarcados.

O aeroporto Campo de Marte fica na zona Norte de São Paulo e atualmente é utilizado como pista de pouso e decolagem de helicópteros e de aviões de pequeno e médio portes. O terminal ficará fechado nesta segunda-feira para a realização dos trabalhos de perícia.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade