Publicidade
Terça-Feira, 20 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 16º C

Exposição da Maratona Fotográfica de Florianópolis conta com mais de cem imagens

Em 30 horas, competidores tiveram que fazer registros de 12 temas dados pela organização do concurso

Felipe Alves
Florianópolis
02/06/2017 às 21H13
Filho e neto de fotógrafos, Caio Cezar participou pela oitava vez da mostra e faturou pela sexta vez o primeiro lugar na categoria analógica - Marco Santiago/ND
Filho e neto de fotógrafos, Caio Cezar participou pela oitava vez da mostra e faturou pela sexta vez o primeiro lugar na categoria analógica - Marco Santiago/ND


Diferentes ângulos, formas e cores de retratar a cidade compõem o acervo de 104 imagens selecionados na exposição da 23ª Maratona Fotográfica de Florianópolis. Aberta na última quinta-feira, a mostra fica disponível até 16 de julho no Museu Histórico de Santa Catarina, no Palácio Cruz e Sousa, no Centro. Os trabalhos são resultado de uma verdadeira maratona de cliques, em que cada fotógrafo deve retratar 12 temas em um prazo de 30 horas.

Os 28 vencedores desta edição do concurso, entre profissionais e iniciantes, foram premiados pelo conjunto de fotos registrado em abril deste ano nas categorias analógica, digital e infantojuvenil. Filho e neto de fotógrafos, Caio Cezar, 44 anos, participou pela oitava vez da mostra e faturou pela sexta vez o primeiro lugar na categoria analógica.

Diferente do seu dia a dia profissional, que permite centenas de cliques para escolher a melhor foto, Caio prefere usar a câmera analógica na hora de competir na maratona. “É mais difícil e desafiante. Primeiro por que no analógico você só pode apertar o botão uma vez por cada tema, e segundo por que tenho saudade desse jeito de fotografar, que é mais contemplativo, que te obriga a começar a construir a foto antes de apertar o botão”, explica.

Este ano, o foco da maratona foi “diferentes faces de Floripa”. Nas 30 horas do concurso, os fotógrafos precisam sair às ruas para registrar da melhor forma vários temas propostos pela organização, como texturas, geografia colorida, raízes e multicultural. “Você faz um planejamento, mas na hora acaba ficando tudo bagunçado, por que o processo de fotografar sempre envolve algum tipo de descontrole”, diz Caio, que usou uma Nikomat da década de 1970 para fazer as fotos.

Caio prefere usar a câmera analógica na hora de competir na maratona - Caio Cezar/ND
Caio prefere usar a câmera analógica na hora de competir na maratona - Caio Cezar/ND



Concurso teve mais de 2.000 fotos

A organização da maratona, promovida pela Prefeitura de Florianópolis, leva em conta critérios como criatividade, originilidade, estética e a qualidade informativa e fotográfica dos registros para definir os vencedores. As mais de 2.000 fotos de cerca de 400 participantes que fizeram parte da maratona foram analisadas por uma comissão de cinco pessoas e os vencedores fazem parte da exposição.

Criado em 1995, o concurso fotográfico é um dos mais antigos do Brasil e tem inspirado diversas promoções do gênero pelo país. A iniciativa estimula e desenvolve o gosto pela fotografia, revelando diversos olhares sobre a cidade.

SERVIÇO

O quê: Exposição da 23ª Maratona Fotográfica de Florianópolis

Quando: De terça à sexta das 10h às 18h; sábados, domingos e feriados das 10h às 16h

Onde: Museu Histórico de Santa Catarina, na praça 15, Centro

Quanto: Gratuito

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade