Publicidade
Quarta-Feira, 14 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 30º C
  • 22º C

EUA dizem que 463 pais imigrantes podem ter sido deportados sem os filhos

Pelo menos 2.654 crianças foram separadas dos pais e enviadas a abrigos

Folha de São Paulo
Washington (EUA)
24/07/2018 às 17H27

WASHINGTON, EUA (FOLHAPRESS) - Pelo menos 463 imigrantes que atravessaram ilegalmente a fronteira dos Estados Unidos nos últimos meses podem ter sido deportados para seus países de origem sem os filhos, que foram separados dos pais e continuam em abrigos espalhados pelo território americano.

A informação está em relatório apresentado pelo governo de Donald Trump na noite desta segunda-feira (23) à Justiça.

Segundo o documento, os dados de 463 casos indicam que "o adulto não está nos Estados Unidos". O número se soma aos 12 casos já identificados de deportação (para crianças com menos de cinco anos de idade), chegando a um total de 475.

Secretaria garantiu ainda que conhece a localização de todas as crianças separadas das famílias que estão sob sua custódia - SPENCER PLATT / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
Número final de deportações ainda está sob revisão - SPENCER PLATT / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP


Todas essas famílias atravessaram juntas a fronteira dos EUA com o México, mas foram detidas e separadas pelas agências de imigração.

Desde abril, a administração de Trump passou a aplicar uma política de tolerância zero à travessia ilegal, denunciando todos os adultos pelo crime. Com isso, os pais eram enviados a prisões federais, e as crianças, a abrigos administrados pelo governo.

Pelo menos 2.654 crianças foram separadas dos pais no período, e enviadas a abrigos. Após a repercussão negativa, Trump suspendeu a prática, e prometeu reunir as famílias.

Mas os processos de deportação pela entrada ilegal continuam em andamento —e levaram à saída de alguns pais do território americano sem os filhos.

O número final de deportações ainda está sob revisão, e um novo relatório deve ser apresentado à Justiça até a tarde desta terça-feira (24).

O governo tem até esta quinta-feira (26), por ordem judicial, para reunificar todas as crianças a seus pais. Segundo a administração, cerca de 1.200 menores já foram entregues à guarda familiar.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade