Publicidade
Quarta-Feira, 14 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 30º C
  • 22º C

Empoderamento e gordofobia são temas de curtas de escola municipal de Florianópolis

Ao todo, foram produzidos 16 filmes na Escola Maria Tomázia Coelho, do Santinho, no Norte da Ilha, sobre jovens e diversidade

Redação ND
Florianópolis
21/08/2018 às 19H34
“A flor da pele” reforça a beleza negra - PMF/Divulgação/ND
“A flor da pele” reforça a beleza negra - PMF/Divulgação/ND


O curta-metragem “A flor da pele” é uma história sobre empoderamento. Entre sprays, looks, batons e muito amor, crianças e adolescentes da Escola Básica Municipal Maria Tomázia Coelho, de Florianópolis, reforçam a beleza negra, aprendendo a elevar sua autoestima. Esse é um dos 16 filmes produzidos pela unidade educativa do Santinho, no Norte da Ilha, e que será visto pelo público nesta quinta-feira (23) no auditório da escola, durante o lançamento das produções, que ocorrerá a partir das 20h.

O objetivo do projeto é possibilitar que a garotada conheça, reflita e se expresse sobre o tema “os jovens e a diversidade”, mudando olhares e contribuindo para o respeito às diferenças.

Ao longo do ano, dezesseis equipes passaram a planejar e produzir cada filme, desde a concepção dos argumentos até a edição final. Após o lançamento, o material estará disponível no blog do Núcleo de Cinema MTC.

Os estudantes foram orientados pelos professores Ednéia Patrícia Dias, Eloísio Lopes Felipe, Juliana Evangelista da Silveira e Mariana Dorigatti Woritóvicz, com a coordenação do professor Luiz de Vasconcellos Ferreira.

De acordo com o secretário de Educação de Florianópolis, Maurício Fernandes Pereira, o cinema na escola pode melhorar o desempenho e a aprendizagem dos estudantes. “Projetos como esse despertam a criatividade, além de fortalecer o gosto pela arte”, completa.

Produções

Na produção “Be (bi) you”, uma menina engravida de seu ex-namorado e de repente se vê apaixonada por outra menina. Em “Gordofobia”, um menino chamado Gustavo é impedido de brincar no parque por conta de seu corpo. Já no filme “Menina também pode”, chega um novo jogo na lan house e isso causa questões sobre quem pode ou não jogá-lo.

Ainda há produções com o tema sustentabilidade. No filme “Trabalho de Artes”, os estudantes buscam expressar sua indignação com a sociedade consumista que produz lixo sem se preocupar com as consequências ao meio ambiente. Já “O mar e as interferências humanas” é um alerta para a diversidade de ameaças provocadas pelos seres humanos nas zonas costeiras.

O evento

Haverá uma apresentação do projeto Núcleo de Cinema MTC (Maria Tomázia Coelho) e sua proposta de alfabetização audiovisual. O evento começa às 19h e é voltado para profissionais da educação. Já a partir das 20h, ocorre o lançamento dos dezesseis filmes de curta-metragem. Também será exibido o documentário “Os Jovens e a Diversidade: qual o papel da escola?”.

O Núcleo de Cinema da Escola Básica Municipal Maria Tomázia Coelho iniciou suas atividades em 2013 com o objetivo principal de proporcionar aos alunos a aprendizagem de novos conhecimentos por meio da produção de conteúdos audiovisuais.

Os curtas

A flor da pele (3’ 25”)
A ovelha (2’ 29”)
Be (bi) you (2’ 35”)
Gordofobia (2’ 05”)
Menina também pode (3’ 15”)
Minha liberdade é poder ser eu (2’ 49”)
O mar e as interferências humanas (2’ 54”)
O mundo (3’ 39”)
Trabalho de Artes (1’ 26”)
A natureza ajudando a natureza (46”)
Apenas um dia normal... (56”)
A porta mágica (32”)
Confusão na praia (47”)
Pesca consciente (46”)
Um amor de herói (51”)
Um herói meio atrapalhado (50”)

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade