Publicidade
Segunda-Feira, 24 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 19º C

Adesão à lei dos faróis acesos é de mais de 90% na Grande Florianópolis, diz PRF

Mas há também motoristas que se confundem e dirigem apenas com as lanternas ligadas

Alessandra Oliveira
Florianópolis

O hábito de entrar no carro, colocar o cinto de segurança e ligar o veículo é automático para a maioria dos motoristas. Mas para muitos condutores falta agora se acostumar também a ligar os faróis durante o dia, em obediência à nova regra do CTB (Código de Trânsito Brasileiro), que obriga o uso de faróis acesos em rodovias estaduais e federais, em vigor desde 8 de julho. Apesar do pouco tempo da vigência, mais de 90% dos condutores obedecem à norma na BR-101, região da Grande Florianópolis, segundo a PRF (Polícia Rodoviária Federal). Na SC-401, no Norte da Ilha, é possível perceber que a quantidade de veículos em conformidade com a lei se assemelha aos números da rodovia federal.

Flávio Tin/ND
Gilberto Souza é vigilante e diz estar precavido contra prejuízo no bolso e na habilitação

 

Embora a maioria esteja atenta à nova lei, muitos motoristas se confundem e dirigem com as lanternas ligadas. Por engano, a química Dalila Galli, 28 anos, pensava estar dentro da lei. Na SC-401, a moradora da praia da Daniela utilizava somente as lanternas por acreditar que eram os faróis. “Quando ligo o carro essas luzes acendem automaticamente”, justificou enquanto ajustava o farol baixo. Dalila pode ter sido multada e ainda não sabe.

Por morar próximo à SC-401, no bairro Monte Verde, o vigilante Gilberto Souza, 32, precisa cruzar a rodovia estadual sempre que precisa se dirigir ao Norte ou a outros locais da Ilha. Para evitar despesa extra, ele se adaptou rapidamente ao hábito de acender os faróis durante o dia e mantém a prática sempre que liga o carro. “Não quero quatro pontos na minha carteira de habilitação, e não tenho dinheiro para pagar multa”, ressaltou.

O valor a ser pago por quem for multado é de R$ 85,13, até novembro, quando passará para R$ 130,15, conforme determinação do governo federal para maior rigidez na punição aos infratores. Por determinação do governo federal, a PRF não divulgará, ao menos por enquanto, os números de motoristas multados. “Nosso foco não são as multas, e sim a segurança de pedestres e condutores”, destacou o agente da PRF, Carlos Possamai.

Medida é comum em  diversos países segundo PRF

Ao reiterar ainda que a medida é comum em muitos países, o policial lembra que a redução de atropelamentos de ciclistas e colisões frontais e transversais (quando um carro bate de frente na lateral de outro) fica entre 75% e 20%, respectivamente. “Mesmo para quem tem boa acuidade visual, os faróis aumentam ainda mais a visibilidade dos que estão a pé, de bicicleta ou em outro veículo”, salientou.

Possamai destaca que o dispositivo é uma ferramenta que auxilia na segurança no trânsito, desde que utilizado corretamente. “Utilizar faróis de neblina ou lanternas são maneiras equivocadas de obedecer à nova regra”, disse. Outro alerta que o agente faz é para a vida útil das lâmpadas que, em razão do uso mais frequente, tendem a queimar mais facilmente.

O agente da PRF informa que não são realizadas operações especificas para multar motoristas que estejam em desacordo com a regra e que a fiscalização não é feita com a utilização de equipamentos como radares, mas sim por meio da visualização dos policiais. Ele lembra que para obedecer a regra não é preciso ter nenhum gasto.

Fique atento

- Infração média

- Valor da multa: R$ 85,13

- A partir de novembro: R$ 130,16 (aumento de 52%)

- Publicação da nova lei no Diário Oficial da União: 24 de maio

Regra entrou em vigor no dia 8 de julho

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade