Publicidade
Sábado, 20 de Outubro de 2018
Descrição do tempo
  • 23º C
  • 18º C

Novos investimentos impulsionam economia e aumentam ofertas de empregos

Lojas de departamento, shoppings e redes supermercadistas geram até o final do ano cerca de três mil oportunidades de empregos na região

Carol Ramos
São José
Washington Fidélis
Shopping em São José ofertará quatro mil empregos no próximo ano

A chegada de novos empreendimentos na Grande Florianópolis impulsiona a economia local, além de oportunizar centenas de vagas de empregos na região. Biguaçu, São José e Palhoça são pontos frequentemente escolhidos por grandes lojas, indústrias e comércios, na aposta por bons negócios e no desenvolvimento da Região Metropolitana. Até o final do ano, a expectativa é de que sejam ofertados nos três municípios cerca de três mil novos postos de trabalho. O destaque é para as lojas de departamento, shoppings e redes supermercadistas.

Em Biguaçu, a recente inauguração do Angeloni gerou diretamente 180 vagas, o que representa a maior oferta de empregos prevista para 2011 na cidade. Em São José, a grande perspectiva gira em torno da ampliação do Shopping Itaguaçu e da inauguração do Continente Park Shopping, esperada para 2012. Juntos vão disponibilizar no mercado cerca de 5400 novas oportunidades de emprego. Na vizinha Palhoça, o comércio ganha mais impulso com a abertura de novas filiais da Havan, Carioca Calçados e Milium, além de uma unidade do Camelão e a abertura de mais 16 lojas no shopping Via Catarina.

De acordo com o presidente da Aemflo (Associação Empresarial da Região Metropolitana de Florianópolis), Tito Alfredo Schmitt, a maior expectativa de empregos e investimentos na região é a de R$ 220 milhões, do Continente Park Shopping.  “Será muito representativo para nossa região, pois terá diversificação de serviços e na área comercial. Atenderá todos os setores, eletrodomésticos, vestuário, alimentação, entre outros. Será o maior shopping do Estado e com a oferta de quatro mil vagas de emprego”, antecipa Tito.

Novos ventos sopram em favor de Biguaçu

Washington Fidélis
Marise aproveitou uma das 180 vagas ofertadas com a nova loja Angeloni, em Biguaçu

Após a perda do estaleiro do Grupo EBX, do empresário Eike Batista, para o Rio de Janeiro, na ordem de R$ 2,5 bilhões, Biguaçu luta para atrair outras opções de investimentos. De acordo com o secretário de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica, João Braz da Silva, a chegada de algumas empresas vai oportunizar até o final do ano cerca de 430 novas vagas. “Tivemos recentemente a chegada do supermercado Angeloni, que gerou diretamente 180 empregos. Também da indústria de fumos CiaAmérica, a transportadora Jamef, a renovadora de pneus Vipal e a Novitec, que comercializa produtos químicos”, observa Braz.

Outro destaque em Biguaçu é a construção da Área Industrial e Comercial, com 100% de investimentos da iniciativa privada. Serão aproximadamente 100 lotes com áreas de 2 mil m2. “Mais de 10 empresas já confirmaram presença neste espaço voltado aos setores industrial e de logística. É um marco histórico para o município, pois teremos uma área com mais de 50 empresas instaladas”, destaca o secretário. Ainda na SC 408, rodovia de acesso a Antônio Carlos, está em fase de construção um grande condomínio de empresas de base tecnológica, que deve estar em operação no prazo de seis meses.

Um dos novos postos de trabalho ofertados na cidade foi aproveitado por Marise Maria Cardoso, 28. Ela foi chamada no mês de maio para ocupar uma das 180 vagas geradas com a abertura da 24ª loja do grupo Angeloni, inaugurado no dia 18, no Centro. Contratada inicialmente como operadora de caixa, Marise teve em menos de um mês a oportunidade de desempenhar outras funções. “Fiz um treinamento e por corresponder às expectativas da empresa tive a chance de trabalhar na central de cartões de relacionamento”, diz a funcionária, que destaca os benefícios em trabalhar com carteira assinada. “Terei direto a férias, 13º salário, além de ganhar vale alimentação, transporte, seguro de vida, plano saúde, odontológico e uma cesta básica mensal”, conta satisfeita.

Shoppings são a maior esperança em São José

Washington Fidélis
Loja de departamento em Barreiros inaugura em julho e gera 200 empregos diretos

Ampliação em 70% do Shopping Itaguaçu, finalizada até o último trimestre, e a inauguração do Continente Park Shopping, prevista para 2012. Esses são os maiores investimentos feitos atualmente em São José, de acordo com a Aemflo. Além dos shoppings, novas unidades supermercadistas, lojas de departamentos e pequenos comércios são aguardados na expectativa de impulsionar a economia local e em oferecer novos empregos. “O Continente Park Shopping será o maior do Estado, um investimento de R$ 220 milhões e a geração de mais de quatro mil postos de trabalho”, antecipa Tito Schmitt.

Um investimento na ordem de R$ 62 milhões será feito na sede da indústria de embalagens plásticas líder no mercado latino-americano, C-Pak, localizada na área industrial de São José. A empresa, que conta com 380 colaboradores, oportunizará 70 novas vagas. “Em 2003 faturamos R$ 4,5 milhões. Em 2009 fechamos o ano com R$ 54 milhões. Este ano vamos registrar R$ 75 milhões e ano que vem a nossa meta é alcançar os R$ 100 milhões. Um crescimento de mais de dois mil por cento em apenas nove anos”, destaca o presidente da empresa, Luiz Gonzaga Coelho.

A rede supermercadista Bistek, com unidade em construção na avenida das Torres, inaugura loja até o final do ano, oportunizando 200 vagas de empregos. A Intelbrás, primeira em arrecadação e em número de funcionários em São José, ampliará a sede no bairro Sertão do Imaruim. Além disso, 250 postos de trabalho serão ofertados com a abertura da nova loja Havan, em frente ao viaduto de Barreiros. A inauguração está agendada para julho e o investimento total é de R$ 20 milhões.

Na visão do presidente da Aemflo, os investimentos em São José poderiam ser mais representativos, caso houvesse mais ações do Governo Municipal em melhorias na infraestrutura. “Por conta do alto crescimento populacional e o baixo incentivo da prefeitura as empresas acabam não vindo, ou vindo em longo prazo. Vamos cobrar investimentos em infraestrutura para termos mais negócios e oportunidades de trabalho”, diz Tito, que estima que aproximadamente 10 mil empresas estejam ativas no município.

Palhoça, comprometida em qualificar mão de obra

Washington Fidélis
Sariana foi uma das beneficiadas com os cerca de 510 empregos gerados em Palhoça

Preocupada em preparar a mão de obra local para aproveitar as oportunidades de emprego ofertadas no município, a Prefeitura de Palhoça investe em parcerias. “Cedemos o terreno para o Senai no ano passado porque somos cientes da necessidade em qualificar os palhoçenses, para que tenham condições de ocupar essas vagas que têm surgido”, diz o secretário de Desenvolvimento da Industria, Comércio e Serviços, Josué da Silva Mattos. Para medir o potencial de crescimento e os setores mais necessitados de investimentos, o governo aposta no projeto Agenda 2025.

“Estamos levantando as reais necessidades de investimentos, seja em saneamento básico, mobilidade urbana ou transporte público. Assim teremos condições de tomar as decisões necessárias e mais urgentes até o ano de 2025”, explica Josué. De acordo com a presidente da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas de Palhoça), Maria de Lurdes Rosa, investimentos são necessários para que Palhoça não perca oportunidades e consumidores para as cidades vizinhas.

“Não queremos perder clientes para Florianópolis. Por isso fizemos o possível para que as pessoas possam vir de qualquer bairro comprar em Palhoça”, diz Maria, que contabiliza em 680 o número de lojistas credenciados à entidade. O presidente da ACIP (Associação Comercial e Industrial de Palhoça), Cláudio Hoeller, destaca a vinda de pequenas indústrias e negócios nas áreas de metalurgia e serralheria. “No Distrito Industrial, no Jardim Eldorado, existe cerca de 190 lotes e instaladas 53 empresas, entre indústrias, fábricas moveleiras e centros logísticos”, destaca Hoeller.

Novos empregos ainda surgem com a abertura de lojas e centros comerciais como Milium, Camelão e Carioca Calçados. O Shopping Via Catarina, inaugurado há um ano, ganhará mais 16 lojas até o Natal, abrindo mais 100 vagas. Outra considerável oferta veio com a abertura de uma filial Havan. A operadora comercial Sariana da Silva Vieira, 28, foi uma das moradoras beneficiada com uma das 150 vagas ofertadas. A oportunidade chegou trazendo esperanças em melhorar a vida da família. “Estava há dois anos desempregada e sem poder ajudar nas despesas. Agora eu e meu marido podemos pensar em mobiliar a casa e até comprar um carrinho”, planeja a colaboradora, que mora na Enseada do Brito.

Ofertas de empregos:

Biguaçu:

Angeloni: 180 empregos, investimento de R$ 15 milhões

Transporte: 20 empregos

Serviços gerais: 30 empregos

Outros: 200 empregos

TOTAL: 430 novos empregos em 2011

Palhoça:

 Milium: 30 empregos, investimento de R$ 2,5 milhões

Camelão: 20 empregos diretos, investimento de R$ 8 milhões

Carioca Calçados: 60 empregos, investimento não revelado

Havan: 150 empregos, investimento de R$ 15 milhões

Centro de distribuição Supermercado Imperatriz: 250 empregos, investimento não revelado

TOTAL: 510 novas vagas de empregos em 2011

São José:

Shopping Itaguaçu: 1400 empregos, investimento não revelado

Continente Park Shopping: 4 mil empregos, investimento de R$  220 milhões (até 2012)

C-Pack: 70 empregos, investimento de R$ 62 milhões

Bistek: 200 empregos, investimento não revelado

Intelbrás: 150 empregos, investimento não revelado

Havan: 200 empregos, investimento R$ 20 milhões

TOTAL: 6020 empregos (até 2012)

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade