Publicidade
Terça-Feira, 11 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 30º C
  • 20º C

Em três horas e meia de Blitz da Lei seca em Florianópolis, 68 condutores são detidos

Blitz ocorreu sábado à noite na BR-282, na via expressa, acesso à Ilha, Segundo a PRF, desde o início do ano 1.700 motoristas foram flagrados dirigindo embriagado nas rodovias federais

Colombo de Souza
Florianópolis
14/05/2018 às 17H51

Em apenas três horas e meia, 127 condutores de veíuculos automotores foram submetidos ao teste de bafômetro em Florianópolis, no último fim de semana. Deste total, 68 dirigiam alcoolizados e tiveram que entregar a Carteira Nacional de Habilitação.  A Blitz da Lei Seca ocorreu sábado na BR-282, na  via expressas, no continente, acesso a ponte Pedro Ivo. De acordo com o patrulheiro da PRF Carlos André Passamai, desde o início do ano até o dia 12 de abril, 1.700 condutores foram pegos dirigindo embriagado nas rodovias federais de Santa Catarina.  

Apesar do endurecimento da pena para quem dirige sob efeito de álcool, como mostrou a série de reportagem do Jornal Notícias do Dia, motoristas ainda misturam bebida e direção. “Quando eles são flagrados no teste de alcoolemia dizem que só beberam um pouquinho e falam que precisam do carro para trabalhar”, comentou o patrulheiro.

Na blitz de sábado, os policiais vistoriaram 184 veículos e fiscalizaram 278 pessoas em trânsito. Os 68 condutores embriagados vão ter pagar multa de R$ 2.934,70.  E se forem considerados culpados no decorrer do procedimento administrativo podem ter o direito de dirigir suspenso por doze meses. Outros 21 condutores também foram notificados por diferentes infrações, além de dez veículos recolhidos por estarem irregulares. Dois motoristas ainda foram submetidos a termo circunstanciados por porte e consumo de drogas e um carro clonado, com registro de furto/roubo foi apreendido.

Passamai lembrou que somente este ano  já ocorreram 284 operações de combate à embriaguez ao volante nas rodovias federais de Santa Catarina. Neste periódo foram realizados aproximadamente 38 mil testes de bafômetro e autuados 1.700 condutores por embriaguez.

Nova Lei

Começa a vigorar em todo o país desde o dia 19 de abril a lei 13.546, a nova Lei Seca, que aumenta pena para motorista que cometer homicídio ou causar lesão grave ou gravíssima ao dirigir alcoolizado ou sob o efeito de qualquer outra substância psicoativa. O condutor terá como pena a reclusão de dois a cinco anos, além de outras possíveis sanções.

Antes, a legislação previa que, por praticar lesão corporal culposa na direção de veículo automotor, a pena seria de detenção, de seis meses a dois anos e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir. No caso de ocorrer homicídio culposo, fixava o aumento de um terço da pena. A nova lei altera dispositivos da Lei 9.503, de 23 de setembro de 1997.

A diferença entre detenção e reclusão é um reforço punitivo contido no projeto sancionado pelo presidente Michel Temer. No caso da detenção, as medidas são, em geral, cumpridas no regime aberto ou semiaberto. Já a reclusão é a mais severa entre as penas privativas de liberdade, pois é destinada a crimes dolosos – quando há intenção de matar.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade