Publicidade
Quarta-Feira, 23 de Janeiro de 2019
Descrição do tempo
  • 32º C
  • 23º C

Em plena temporada, Florianópolis oferece opções de praias longe da agitação

ND mapeou quatro locais que caíram nas graças de turistas e moradores da Ilha neste verão

Cristiano Rigo Dalcin
Florianópolis
11/01/2019 às 22H45

Com diversas praias para todos os gostos, Florianópolis recebe milhares de turistas na alta temporada todos os anos. Porém, apesar da alta taxa de ocupação nas praias mais famosas, ainda é possível encontrar na Ilha de Santa Catarina verdadeiros “oásis” que aliam tranquilidade, conforto, estrutura e natureza para curtir a estação mais quente do ano. Quatro desses locais já caíram nas graças de turistas e moradores durante a temporada: as praias da Solidão e dos Açores, ao Sul, e a praia do Novo Campeche e do Pico da Cruz (Rio Tavares), no Leste.

Novo Campeche é a praia do momento no leste da Ilha - Foto: Marco Santiago/ND
Novo Campeche é a praia do momento no leste da Ilha - Foto: Marco Santiago/ND


Considerada a praia da moda nos últimos dois anos, a praia do Novo Campeche tem tudo para continuar em 2019 com o “título” que já foi do Riozinho (Campeche), da Praia Mole (leste) e da Praia Brava (norte) em outras épocas. A cada ano que passa, o número de frequentadores só aumenta e a estrutura acompanha, inclusive com quiosque licenciado pela prefeitura de Florianópolis. “Em relação ao Campeche tradicional, o Novo Campeche está dando um banho”, atesta Maikon Pereira de Jesus, que tem alugado diariamente cerca de 300 cadeiras de praia.

Um dos atrativos da praia do Novo Campeche, é o acesso fácil através da Avenida Campeche, que corta o bairro em direção ao Rio Tavares, e da rua João Nicolau de Abreu, que leva até a trilha de acesso ao mar. Os estudantes Gabriela Machado, Letícia Vieira, Elisa Oliveira e Artur Rocha saíram do bairro Trindade direto para a beira da praia. “Eu sempre venho para cá, pois não pegamos filas e é mais tranquilo, sem tanta gente como as praias mais famosas”, disse Gabriela, que calcula ter levado 25 minutos no trajeto entre a casa e o Novo Campeche.  

Os argentinos também já descobriram o Novo Campeche. Hospedado em uma pousada com toda a família, o jornalista Sebastian Mendoza conta que optou pelo Novo Campeche para evitar as águas poluídas das praias do Norte da Ilha. “É um lugar mais agradável e tranquilo. O atendimento que recebemos na pousada também foi muito bom. O Norte está muito contaminado”, disse o turista, que já passou férias nas praias da Daniela e do Santinho.

Argentinos já descobriram o Novo Campeche - Foto: Marco Santiago/ND
Argentinos já descobriram o Novo Campeche - Foto: Marco Santiago/ND


O acesso à praia do Novo Campeche se dá por uma trilha de 90 metros, em meio a dunas de areia cobertas por vegetação de restinga.  Devido às correntes marítimas de Sul, o Novo Campeche apresenta águas mais frias e o mar exige cautela de banhistas diante da dinâmica costeira caracterizada pelas correntes de retorno e os buracos, uma vez que a praia está localizada no meio da baía. A bancada de areia também pode garantir boas ondas para surfistas e bodyboarders.

Mas um pouco do charme do local é atribuído a casais jovens que residem nos prédios de alto padrão que cercam a praia, como são os casos dos campeões mundiais de surfe e skate, Adriano de Souza e Pedro Barros, respectivamente, que residem com suas esposas em apartamentos com vista para o mar. “É um bom lugar para vir com a família, é prático, pois tem lugar para deixar o carro e é bonito também”, resume o surfista profissional Marcio Farney, pai de gêmeos.

Com tanta fama, é natural que a praia chame mais atenção do que em outros anos. Após ganhar a dica de amigos, o paulista Edu Morais buscava um local mais tranquilo para curtir o primeiro dia de praia em Florianópolis com a mulher Ket e o filho Chico, mas se disse surpreso com a movimentação no Novo Campeche, repleta de cadeiras de praia e guarda sóis. "Está um pouco lotado, percebemos que está um pouco mais cheio do que gostaríamos", comentou.

Pico da Cruz: é possível ouvir o barulho do mar

Muito conhecido pelos surfistas de Florianópolis pelas ondas fortes e, às vezes, perfeitas, o Pico da Cruz pode ser apontado como uma das poucas praias ainda preservadas do leste da Ilha. Localizado no bairro Rio Tavares, entre a praia do Novo Campeche e a praia da Joaquina, o acesso se dá por trilhas em meio à mata e dunas com areias escaldantes que podem queimar os pés de turistas desavisados em dias de intenso calor.

Pico da Cruz atrai moradores e turistas no leste da Ilha - Foto Marco Santiago/ND
Pico da Cruz atrai moradores e turistas no leste da Ilha - Foto Marco Santiago/ND


Devido à dificuldade de acesso, a frequência da praia é bastante restrita aos moradores (gaúchos, paulistas e natrivos) e turistas que ficam hospedados em pousadas de seis ruas adjacentes, numa área conhecida como Vila Cruz. A faixa de areia de 40 metros de extensão conta apenas com um quiosque licenciado pela prefeitura para venda de bebidas, açaí e milho cozido.

O gaúcho Guilherme Schwinzer conheceu o Pico da Cruz através de um amigo e decidiu se mudar para o bairro, há 12 anos. “É uma praia mais preservada, com um pessoal mais tranquilo, mas não espalha”, define Schwinzer, com o temor de que o local seja descoberto. Este ano, Guilherme recebeu a visita da irmã, do cunhado e dos sobrinhos que vieram de Porto Alegre em busca de uma praia tranquila, sem precisar fazer o deslocamento de carro. “Aqui tu consegue ouvir o barulho do mar e não o som irritante daquelas caixinhas de som”, explica Karen.

Morador de Joinville, Julian Vieira Matias descobriu o Pico da Cruz no ano passado, quando se hospedou com a mulher Daniela Castro Silveira na casa de amigos, moradores da Vila Cruz. Este ano, Julian não pensou duas vezes. Debaixo do guarda-sol, com um cooler ao lado da cadeira de praia, o turista curtiu a praia sem a presença de vizinhos na faixa de areia, enquanto a mulher tomava banho de sol.  “É um lugar mais sossegado, sem muita muvuca”, justificou Matias, que chegou a visitar a movimentada Praia da Joaquina, mas prefere a tranquilidade do Pico da Cruz.

Praia da Solidão oferece sossego e diversão - Foto: Marco Santiago/ND
Praia da Solidão oferece sossego e diversão - Foto: Marco Santiago/ND


Solidão e Açores: águas limpas, diversão e sossego

Se o Norte da Ilha está literalmente entupido de gente, o Sul parece ser a melhor saída para quem quer águas limpas, diversão e sossego. Isso tudo pode ser encontrado nas praias da Solidão e Açores, uma ao lado da outra, e com características bem distintas.

Com 3,2 quilômetros de extensão, a praia dos Açores é maior e muito frequentada por moradores de Florianópolis que se mudam para o Sul da Ilha durante a temporada. A orla é protegida do vento predominante do verão, de direção Norte/Nordeste, o que torna o dia de praia mais longo e agradável.  A ampla faixa de areia ainda possibilita a prática de esportes.

Na última quarta-feira, a moradora do Campeche, Fernanda Mafra, aproveitou para jogar vôlei com o filho Gabriel e a amiga Cristina Medeiros. Ela conta que sempre procura a Praia dos Açores para encontrar tranquilidade ou praticas esportes na beira da praia. "É uma das opções em função do trânsito, com aguas próprias para banho e muita beleza", argumenta. "No Campeche já percebemos indícios de esgoto e falta de coleta de lixo. Está bem saturado", completa.

O engenheiro civil Luiz Fernando Viotti Guimarães veraneia nos Açores há 10 anos e proveitou a visita de familiares de Minas Gerais para comemorar a aprovação dos filhos gêmeos Pedro e Gabriel no vestibular, com direito a espumante e corte de cabelo na beira da praia. "É um lugar para veranear como poucos aqui na Ilha", resume.

Uruguaios aproveitam o banho de mar em água limpas na Solidão  - Foto: Marco Santiago/ND
Uruguaios aproveitam o banho de mar em água limpas na Solidão - Foto: Marco Santiago/ND


Ao lado, a Praia da Solidão é um convite para quem gosta de ficar perto da natureza e ainda fazer um passeio pela trilha da Praia do Saquinho ou na Cachoeira da Solidão. Localizada em um bairro pacato, pequeno e tranquilo, a Praia da Solidão tem acesso restrito, uma vez que os carros precisam ficar estacionados em terrenos de moradores, ao preço de R$ 15.  De acordo com moradores, o movimento de visitantes fica mais intenso a partir do meio-dia. Muitos aproveitam a formação rochosa no canto direito para instalar barracas e fazer churrasco.

Os uruguaios Andrés Ferrara, Noelia Berterretche, Carolina Ibarzabal e Deborah Amarante já conhecem as praias do Norte e buscaram um local mais tranqüilo e perto da natureza. "A Ilha é muito grande e sempre tem locais novos para visitar", disse Andrés, que também gostou da praia do Matadeiro. "Gostamos mais da parte agreste da Ilha", completou Carolina, para destacar a exuberância da natureza que cerca a Solidão. A goiana Fernanda Resende também passou o dia na Solidão após receber a dica de uma amiga que morava na Ilha. "Fui atraída pela beleza da praia, além de ser mais tranquila", explica Fernanda.

Publicidade

4 Comentários

Publicidade
Publicidade