Publicidade
Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 17º C

Edital do Floribike é adiado novamente por falta de interessados em licitação

Prefeitura afirma que criará nova licitação nos próximos 15 dias

Beatriz Carrasco
Florianópolis
Flavio Tin/Arquivo/ND

 

O projeto Floribike, que tem como objetivo a implantação de serviços de compartilhamento e aluguel de bicicletas em Florianópolis, foi adiado novamente por falta de interessados no processo licitatório. Segundo a prefeitura, na manhã desta terça-feira (25) foi realizada a sessão de abertura e recebimento dos envelopes de habilitação e proposta de preços, mas como nenhuma empresa se manifestou, a comissão irá de reunir nos próximos 15 dias para avaliação e encaminhamento de uma nova licitação.

Em 2013 também houve a tentativa de colocar o projeto em prática, mas não saiu do papel. “Foi uma licitação vazia, sem interesse das empresas. Por isso a ideia de reunir uma comissão para aperfeiçoar o Floribike e torná-lo mais atrativo. É uma meta antiga nossa e a vontade para as coisas acontecerem é muito grande”, disse em abril deste ano a autora do projeto e arquiteta do Ipuf (Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis), Vera Lúcia Gonçalves da Silva.

:: Projeto Floripa Bike deve entrar em funcionamento até o fim do ano

:: Licitação do projeto Floribike será cancelada por falta de propostas e um novo edital será lançado

O edital

O atual edital prevê a instalação de 85 estações, 595 bicicletas e 1.190 suportes, com sete bicicletas e 14 suportes em cada estação. A ideia é implantar o serviço inicialmente nas regiões onde os veículos não trafegam em alta velocidade, para garantir maior segurança ao ciclista. Assim, a região central e os bairros Coqueiros, Trindade e Santa Mônica seriam os primeiros beneficiados. É também nestas regiões que se concentram grande número de estudantes universitários, sendo polos geradores de viagens.

Para Vera Lúcia, o Floribike ajudará a desafogar o grande fluxo de veículos na cidade em longo prazo, e fará com que mais pessoas passem a utilizar a bicicleta. “Ao ter esse serviço disponível muitas pessoas que antes se sentiam inseguras de trafegar na cidade passarão a experimentar a experiência. Com mais bicicletas nas vias, os motoristas passarão a olhar com mais atenção para os ciclistas”, explicou.

Outro problema relatado é a falta de ciclovias e ciclofaixas. Com contrapartida da prefeitura, um dos objetivos do projeto é ampliar esses espaços.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade