Publicidade
Sexta-Feira, 14 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 31º C
  • 22º C

Dona Alcina, última lavadeira viva da Bica da Carioca de São José, completa 100 anos

O local, construído em 1840, é patrimônio histórico e cultural da cidade e guarda muitas histórias que se misturam com a trajetória da aniversariante

Redação ND, com informações da RICTV Record
Florianópolis
26/02/2018 às 21H29

A igreja do Senhor do Bonfim, no Centro Histórico de São José, ficou lotada de amigos, familiares e pessoas da comunidade neste fim de semana, quando Alcina Júlia da Conceição, única lavadeira ainda viva da Bica da Carioca, comemorou seus 100 anos de idade, que se completam nesta terça-feira (27). Acompanhada dos filhos, ela entrou na igreja para receber as bênçãos e orações pela passagem do centenário ao som do coral Cidade de São José, de que muito gosta. Durante a missa, não faltaram homenagens para a senhora, que faz parte da história da cidade. Filhos e netos levaram até o altar objetos que simbolizam sua trajetória de vida.

Dona Alcina, última lavadeira viva da Bica da Carioca de São José, completa 100 anos - Reprodução/RICTVRecord/ND
Dona Alcina, última lavadeira viva da Bica da Carioca de São José, completa 100 anos - Reprodução/RICTVRecord/ND

Das 14 primeiras lavadeiras da Bica da Carioca, Dona Alcina é a única ainda viva. O local, construído em 1840, é patrimônio histórico e cultural de São José e guarda muitas histórias que se misturam com os 100 anos de vida de Alcina. Ela conta que já trabalhou muito na Bica da Carioca “lavando roupa, tirando lenha no mato, tirando berbigão, passando, fazendo faxina, fui cozinheira…”.

As lembranças da época de lavadeira são transmitidas não só por ela, mas também pelos filhos, para as gerações mais novas. “Jardim de infância, a gente brincava ali na Carioca e elas lavavam as roupas. Apesar da pobreza, era uma vida saudável, era uma vida alegre” lembra Fernando Conceição, filho de Dona Alcina, com carinho.

Dona Alcina, última lavadeira viva da Bica da Carioca de São José, completa 100 anos - Reprodução/RICTVRecord/ND
Dona Alcina, última lavadeira viva da Bica da Carioca de São José, completa 100 anos - Reprodução/RICTVRecord/ND



Guilherme Conceição, neto da centenária, também aprecia as histórias da avó. “Quando a gente tá ali, de tarde, tomando um café com ela, ela começa a falar dos filhos antigos, que ela tinha, dos netos antigos também, alguns que já faleceram”, diz ele. Dona Alcina teve seis filhos, 19 netos, 31 bisnetos, 16 tataranetos e criou muitos filhos do coração. Filha de escravos, ela foi doméstica, lavadeira, passadeira e ama de leite.

Dona Alcina, última lavadeira viva da Bica da Carioca de São José, completa 100 anos - Reprodução/RICTVRecord/ND
Dona Alcina, última lavadeira viva da Bica da Carioca de São José, completa 100 anos - Reprodução/RICTVRecord/ND



“Ela fez o meu parto, ela me criou, me levava para a escola. Trabalhou mais de 30 anos na casa do meu pai e da minha mãe e criou os cinco filhos deles. Ela me amamentou”, conta Auzira Rosa, que diz uma história muito grande com Dona Alcina e se considera filha do coração da senhora.

Cheia de vida e saúde aos 100 anos, foi ela quem cantou e alegrou sua festa. “Hoje, estou aqui com 100 anos glorificando o nome do Senhor. Enquanto eles dormem e toda a minha vizinhança dorme, eu estou com o meu terço na mão rezando e pedindo por todas as pessoas amigas, pelas pessoas que me procuram, as pessoas que me ajudam, as pessoas que vão na minha casa rezar o terço. Para mim, tudo é a maior satisfação e alegria”, fala com alegria.

Confira a reportagem completa do Balanço Geral Florianópolis: 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade