Publicidade
Sexta-Feira, 21 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 17º C

Dois morrem após carro cair em penhasco e submergir em rio, em Alfredo Wagner

Uma das vítimas é um menino de 11 anos, que jogava no time de base do Avaí

Viviane de Gênova, Beatriz Carrasco
Florianópolis

*Atualizada às 15h50

Um grave acidente no km 93 da BR-282, em Alfredo Wagner, deixou dois mortos e um ferido na manhã desta segunda-feira (16). No carro estavam pai, mãe e filho, que seguiam para Florianópolis após passar o final de semana com familiares em Lages. Segundo a PRF (Polícia Rodoviária Federal), o automóvel saiu da pista e caiu em um penhasco de aproximadamente 30 metros, por volta das 5h.

Após a queda, o veículo ficou submerso no rio Itajaí do Sul, que passa pela área, localizada próximo à divisa com Rancho Queimado. Mesmo com alguns ferimentos, o condutor, Neil Adriano Vieira de Souza, conseguiu sair do carro e pedir ajuda na rodovia. No local morreram sua mulher, Luciane Aparecida Farias, de 43 anos, e filho, Daniel Farias de Souza, 11 anos, que jogava em time da base do Avaí. O casal tem um filho mais velho, que não estava no carro no momento do acidente.

Arquivo Pessoal
Daniel e a mãe morreram no local do acidente

 

O Corpo de Bombeiros foi acionado para resgatar Luciane e Daniel, que estavam presos entre as ferragens, mas eles não resistiram aos ferimentos. A família de Lages estava em um Peugeot com placas de Florianópolis, cidade onde a família morava. Os corpos de Daniel e Luciane foram encaminhados ao IML (Instituto Médico Legal), na Capital, e aguardavam liberação até a atualização desta matéria. Depois, eles serão encaminhados à cidade natal para o velório, que ocorrerá às 21h na Capela São Benedito.

Último contato com colegas

Na semana passada, Luciane, que era funcionária do Grupo RIC, pediu ao supervisor, Diogo Delhano, para entrar mais tarde nesta segunda-feira, pois iria ao aniversário de um parente em Lages no final de semana. Segundo Rosi Lopes, do setor de Recursos Humanos, ela começou a trabalhar na empresa há 11 dias e estava indo bem.

“Na sexta-feira (13), encontrei com ela no bebedouro. Ela me abraçou e me beijou, senti que ela estava muito feliz”, relembrou Rosi, que já havia trabalhado com Luciane em outra empresa e que é amiga da família. Ela relatou que todos pensaram que ela estava atrasada ou não trabalharia nesta segunda por causa da viagem, até que seu marido, que também é amigo de Neil e Luciane, ligou para dar a notícia.

“Ela era uma pessoa muito boa. Todos da equipe estão muito sentidos. Ela era muito calma, tranquila, dedicada e extremamente profissional, queria sempre fazer com excelência o que era delegado a ela. No sorriso dela víamos a felicidade de estar trabalhando aqui”, emocionou-se Rosi, ao contar que será enviada uma coroa de flores para o velório e que o Grupo RIC está prestando apoio aos familiares.

Criança alegre e ativa

“Era uma criança bem alegre e ativa, além de muito educado”, disse Rosi sobre Daniel, ao comentar que essa característica “ativa” do menino contribuiu para que passasse a jogar no Avaí. Em nota, o clube afirmou que está prestando assistência à família das vítimas. Confira o comunicado na íntegra:

"É com pesar que os Poderes Constituídos do Avaí Futebol Clube lamentam a morte do atleta Daniel Farias de Souza, de 11 anos, e de sua mãe, Luciane Aparecida Farias, de 43 anos. Dani, como era chamado no mundo da bola, era um atleta educado e dedicado, que atuava na categoria sub-11 do Avaí.

O falecimento ocorreu em decorrência de acidente de trânsito na madrugada desta segunda (16), por volta das 5 horas, na BR 282, em Alfredo Wagner. Os corpos serão encaminhados para Lages, onde acontecerá o velório e os sepultamentos.

O clube está dando todo o apoio aos familiares e solicitará à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) a realização de um minuto de silêncio antes da partida Avaí x Sampaio Correa, no dia 21 de maio (sábado), na Ressacada. Nossos sentimentos aos amigos e familiares!"

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade