Publicidade
Segunda-Feira, 17 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 32º C
  • 22º C

Dois acusados de queimar casal vivo são condenados a penas que somadas chegam a 118 anos

Mais três réus ainda devem passar por julgamento em Palhoça; crime ocorreu em novembro do ano passado

Colombo de Souza
Florianópolis
06/12/2018 às 23H37

Dois dos cinco acusados de queimar vivo o casal de namorados Rudimar Muller, 18, e a Thuane Gonçalvez da Cruz, 20, foram condenados a penas que somadas chegam a 118 anos de prisão.  Os réus são Maicon Franca Taubek, que pegou 47 anos, e Sidnei Valmir Silveira de Melo, condenado a 71 anos de reclusão. Ambos já estavam presos. O Júri Popular correu nesta quinta-feira (6), na comarca de Palhoça. 

O terceiro réu Luciano e Silva não pode ser julgado porque o advodgado Alexsander Marcondes de Espíndola pediu suspensão por motivos de saúde. O Ministério público também denunciou Deivide Henrique Mariano e Evandro de Lima Soares. Deivd recorreu e Soares ainda vai ser ouvido em audiência de instrução e julgamento.

De acordo com o Ministério Público, Thuane e Rudimar teriam sido contratados para vender drogas para um traficante de Palhoça. Porém, o casal foi detido pela Polícia Militar em rondas de rotina e foi liberado. No dia seguinte, integrantes de uma facção criminosa de SC sequestraram o casal. 

Rudimar e Thuane foi  interrogados e torturados dia e noite em uma casa no Alto do Aririú. Na noite de 19 de novembro do ano passado, foram mortos numa área descampada. O corpo de Rudimar foi localizado no Bairro Pacheco, em Palhoça e o de Thuane em Águas Mornas. A decisão do julgamento deve sair ainda nesta quinta-feira à noite.

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade